Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 19 de septembro de 2018

As famílias extremenhas gastam em média 3.450€ em alimentação

A despesa em produtos alimentares e bebidas dos extremenhos tem descido em média 175€ . Os lares da Extremadura são os que menos gastam em alimentação de toda Espanha

Redacción AA MONOGRÁFICOS
03/12/2017

 

Os lares extremenhos gastaram uma média/meia de 3.450 euros em alimentação (incluídas bebidas) em 2016, segundo o estudo Evolução da despesa das famílias espanholas em alimentação 2014-2016, realizado por {AIS} {Group} e baseado nos indicadores de tipologia de lares e perfil de despesa {Habits}®{Big} Data. Segundo o relatório/informe, os extremenhos gastam nesta verba/partida 860€ menos do que gasta a média de famílias espanholas, que se situou esse ano em 4.313€.

O estudo assinala que após um incremento na despesa dos extremenhos em alimentação do 3,22% em 2015, em 2016 se produz um nova descida/desmpromoção, neste caso do 7,7%, quase 290€, passando de um despesa meio por lar de 3.740€ aos 3.450€.

Extremadura é a comunidade de Espanha onde mais tem descido a despesa meio das famílias em alimentação em 2016 a nível percentual, um 7,7%. Não obstante, se se considera em termos reais, são os lares galegos os que mais euros têm diminuído a seu orçamento de compra de comida/almoço e bebida entre 2015 e 2016, quase 320€, face aos 290€ dos extremenhos.

No outro extremo estão as famílias catalãs, que são as que mais aumentaram seu nível de despesa, uns 165€, isto é um 3,56%. Após elas estão as aragonesas, que têm destinado um 2,83% mais à compra de comida/almoço e bebida, uns 125€, e as andaluzas que têm incrementado sua despesa nuns 90€, um 2,21%.

As diferenças da despesa entre os lares das diferentes regiões provoca que a média espanhola se incrementasse entre 2015 e 2016 um 0,21%, uns 10€ ao ano mais por lar.

Como no resto de Espanha a carne é o produto ao que as famílias extremenhas destinam a maior parte de seu orçamento em alimentação. Algo mais duma quinta parte do que gastaram os espanhóis em alimentação em 2016 foi a produtos das carnes, à volta de 925€. No caso dos extremenhos, esta cifra ascendeu a uns 725€, o que equivale a 21% de sua despesa total em alimentação do ano.

Após a carne, são as frutas e verduras a verba/partida à que mais montante se destina. Em 2016 se supuseram um desembolso meio dos lares da Extremadura de 610€. Apesar de ser a segunda maior verba/partida para os extremenhos, trata-se do montante mais baixo destinado à compra destes produtos de toda Espanha. Onde maior investimento realizam em fruta e verdura é no País Basco: quase 990€. A média espanhola é duns 820€.

Pan e cereais é o terceiro alimento em que mais gastam os extremenhos, 540€. E o quarto são os ovos e os lácteos, 455€.

SUBIDAS E DESCIDAS. No último ano a despesa das famílias extremenhas em alimentação tem caído em quase todas as verbas/partidas em maior ou menor medida.

A descida mais acentuado é o do orçamento destinado à compra de carne, que se tem diminuído em 190€, perto de um 20% menos que em 2015.

Lhe segue/continua o pescado, a cuja compra os lares da Extremadura têm destinado um 9,9% menos que em 2015 (uns 40€); os lácteos (-6,8%) e as frutas e verduras (-4%).

Quanto às subidas, se deram em apenas três tipos de produto: o óleo/azeite e outras gorduras (13%), as bebidas alcoólicas (12,2%) e o açúcar e doces (3%). Estas subidas em termos absolutos equivalem a um total algo superior aos 30€ anuais.

As notícias mais...