Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

‘{Levántate} e andor’

Rosario Cordero Martín
08/09/2017

 

{Levántate} e andor”, frase bem conhecida, mandamento bem repetido mas que a mim me chega com uma voz muito concreta/concretiza, a voz de Pablo Guerrero: “{Ay} meu Extremadura, {levántate} e andor”. E Pablo Guerrero não fala de milagres, fala de luta, fala de reivindicação, e aí acredito/acho que nos estamos encontrando cada vez mais todos os extremenhos e todas as extremenhas. E é neste dia, o Dia da Extremadura, um dia de celebração, de orgulho da nossa terra, da nossa história, da nossa identidade e também, e sobretudo, do nosso futuro. Para isso, este tem que ser um dia de união e de reivindicação, porque é a única maneira na qual entendo o caminho até o futuro.

Nossa terra mais duma vez se levantou e tem caminhado, e o seguirá/continuará fazendo, mas gostaria que o fizéssemos todos juntos e mais agora quando há uma voz unânime reclamando o que é de justiça: umas infraestruturas que não aniquilem o esforço e o trabalho que dia-a-dia se faz nesta região. É difícil, se não impossível, para nossas instituições, para nossos empresários, para nossos jovens caminhar para diante sem umas infraestruturas à altura dos tempos. Porque no que nos temos que deter é que as infraestruturas que temos a obrigação de reclamar unem pessoas, com nomes, apelidos e sonhos. E esses sonhos não podem ser esmagados pela {iniquidad} e a {desafección} até os homens e mulheres que temos {decido} ficar-nos aqui na Extremadura.

Já há um Pacto Social e Político pelo Caminho de ferro, promovido pelo presidente da Junta de Extremadura, Guillermo Fernández Vara, que não deixa de ser um pacto pelo desenvolvimento e pelo futuro, e aí temos que estar todos os extremenhos e todas as extremenhas, e aqueles que não podemos baixo/sob/debaixo de nenhum pretexto pôr-nos de perfil somos os que estamos à frente das instituições que modelam o rede social da nossa terra.

O caminho de ferro, o comboio, tem suposto ao longo/comprido do tempo uma das grandes linhas de desenvolvimento e {vertebración} dos territórios, e nestes momentos, quando o mapa ferroviário espanhol se está redesenhando, nós, Extremadura, não podemos ficar fora de ele. Me {acongoja} olhar algum desses mapas do futuro e não encontrar uma só raia sobre/em relação a nosso território. Alguns me dirão que sim, que se estão marcando as linhas, as linhas, nesse mapa, mas tenho que dizer que com tanta apatia, com tanta crédito malparado que, de não corrigir-se esta situação por parte de aqueles que têm responsabilidade de {gobernanza} igualitária, a distância entre Extremadura e o futuro será cada dia maior.

Na Extremadura se estão a desenvolver políticas por parte de A Junta, das assembleias provinciais e das câmaras municipais que estão encaminhadas a fixar população no território, políticas que vão desde as sanitárias às educativas. Do mesmo modo se está a fazer um respeitado esforço em políticas de emprego e políticas de habitação para nossos jovens, chave tudo isso para o objetivo marcado: fixar população. E para isso há questões imprescindíveis, como são as infraestruturas, o caminho de ferro ou as novas tecnologias, a alta velocidade também na internet, a fibra ótica, que é de justiça que chegue a todos os núcleos rurais, porque só/sozinho assim poderemos impulsionar a criação de empresas.

Neste caminho se situa também o projeto de Economia Verde e Circular lançado pelo presidente extremenho, e no qual estamos trabalhando conjuntamente a Junta de Extremadura, as assembleias provinciais e sectores sociais e económicos da região. Fruto desta ideia, o protocolo assinado recentemente com as empresas do sector florestal para impulsionar o desenvolvimento de projetos de aproveitamento da biomassa em regiões como Gata ou Villuercas-Ibores-Jara. Projetos chaves como também os Planos Territoriais de Desenvolvimento que estão em marcha em nossas regiões e que unem criação de emprego, cuidado da nossa identidade e da nossa história e desenvolvimento do turismo. O Turismo, eixo duma das colunas de avanço, sem dúvida.

São estes só/sozinho alguns exemplos do esforço que desde esta terra estamos fazendo, porque acreditamos na Extremadura e porque acreditamos em nossas possibilidades.

Sim, temos projetos, agora só/sozinho falta que desde Madrid se nos acompanhe em seu desenvolvimento, e o do caminho de ferro é de prioridade absoluta, por isso em Outubro nos temos que encontrar em Madrid.

As notícias mais...