Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

Um impulso ao mundo audiovisual

O centro cultural Alcazaba acolheu na sexta-feira a gala final de Claquete Emérita, na qual se entregaram os prémios aos melhores curtas-metragens realizados por jovens da região, no quadro de um concurso convocado por este certame do instituto/liceu Extremadura

por CARMEN HIDALGO
01/03/2020

 

Promover o visionado de curtas-metragens {amateurs} realizados por jovens da região. Com esta finalidade, os alunos de segundo curso do ciclo de Realização de Projetos Audiovisuais e Espetáculos do instituto/liceu Extremadura têm posto em marcha por terceiro ano consecutivo o festival Claquete Emérita, um evento que une as artes cénicas com o mundo audiovisual, graças à organização por parte da associação Esmerar-te e à colaboração da Câmara Municipal. Entre suas atividades, que se têm desenvolvidos os dias 26, 27 e 28 de Fevereiro, destaca um concurso de curtas-metragens e pequenas peças audiovisuais destinado a realizadores extremenhos, que neste ano contou com uns 20 participantes.

O centro cultural Alcazaba acolheu na sexta-feira passada a gala final de entrega de prémios, na qual se projetaram as curtas-metragens premiados e os autores apresentaram suas obras. O júri esteve formado por peritos na matéria como Ángel Briz, Antonio Gil Aparicio, Ana Aznar e Cipriano Montero. Concretamente, se repartiram prémios em quatro categorias: melhor consciencialização (Futuro passado), melhor fotografia e curto de ficção (Amigo invisível) e melhor interpretação (Aniversário feliz). A ceramista {Inés} Fernández, responsável de Inesperada Cerâmica, foi a encarregada de elaborar os galardões que receberam os premiados. Como novidade, a câmara municipal emeritense tem promovido neste ano o prémio ‘Curta e mudança’, que recaiu no curta-metragem {Blinded}.

O evento contou com o processo de Maribel Gordón e Luis Pacha, dançarinos da escola de dança social e desportivo {Meridance}. Além disso, o guitarrista Luis Guitar interpretou vários temas relacionados com a temática da gala, que foi a série A casa de papel, juntamente com uma posta em cena teatral a cargo de estudantes do Extremadura. Os apresentadores da gala foram os alunos Miguel e Jorge, aqueles que fizeram rir aos assistentes. «A afluência de público superou largamente às dois edições anteriores», destaca María José Juez, professora do instituto/liceu emeritense.

Na quarta-feira passada e quinta-feira, o centro cultural Alcazaba acolheu a projeção dos curtas-metragens do concurso, bem como a posta em cena da obra de teatro ‘Insónia’. Nesta linha, também teve lugar um encontro fotográfico com José Luis Guisado. Por seu lado, o 27 de Fevereiro na biblioteca pública Jesús Delgado Valhondo, se desenvolveram um oficina de interpretação, a cargo da companhia emeritense {Taptc}? Teatro; e outro de fotografia telemóvel com María Fuentes, antiga aluna do ciclo de Laboratório fotográfico. Durante a tarde, lhes tocou o revezo ao oficina de {stop} {motion} da mão de Carlos Urbano, de {Batiscafo} produções; e ao de caracterização que deu Belén Mendo, professora da escola de arte de Mérida.

Cabe destacar que o ano passado, os professores do instituto/liceu emeritense José Luis Cárdenas, Fátima Álvarez, Ángel Tinoco e a própria María José Juez, decidiram fundar a associação Esmerar-te com o objetivo de «fazer crescer os projetos culturais na cidade de Mérida».

As notícias mais...