Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

Saúde permitirá dar comida/almoço aos gatos em três {colonias} autorizadas

{Guijarro} assinala que vão a instalar uns painéis com as normas destes espaços. Estão por determinar, mas uma delas será a que se encontra nas proximidades do rio

CARMEN HIDALGO
08/09/2017

 

Organizar de maneira eficiente as {colonias} de gatos que proliferam na cidade. Neste objetivo trabalha desde há meses a delegação de Saúde da Câmara Municipal emeritense, já que está levando a cabo a catalogação de todas as povoações felinas que há nos bairros para determinar quais estarão ou não autorizadas de maneira oficial por parte da Câmara Municipal. Segundo explica a este diário/jornal o delegado da área, Quadro Antonio Guijarro, os vizinhos/moradores poderão alimentar aos gatos em pelo menos três {colonias} que, até à data, estão por determinar salvo a que se encontra nas proximidades do rio, que sim contaria com a autorização.

Para identificar as {colonias} autorizadas se instalarão uns painéis informativos com as normas de uso destes espaços, entre as que destaca a proibição de dar de comer aos gatos alimentos convencionais, mas só/sozinho penso seco. Guijarro aponta que a colocação destes cartazes se realizará como muito tarde durante o mês de Outubro. «Algumas {colonias} não se podem autorizar porque por problemas de salubridade estão perto de os vizinhanças», precisa o delegado.

Neste sentido, assinalar que a cidade conta na atualidade com {colonias} de gatos que se localizam em vários pontos, umas mais grandes e outras mais reduzidas, como as que se encontram perto de a creche de Os {Gurumelos}, nas proximidades do Guadiana ou no ambiente da Casa do Anfiteatro, entre outras.

Por outro lado, e em relação ao estado do centro {zoosanitario}, do qual também é responsável Guijarro como gestor da delegação, o vereador assegura que a situação atual é boa. As dependências do canil municipal albergam em torno de 40 cães e o nível de adoção é alto.

Desde que no passado mês de Maio entrasse em funcionamento a aplicação telemóvel ‘{Addopta}’, que permite conhecer e adotar aos animais do centro {zoosanitario}, se têm realizado 300 descargas deste recurso por parte dos usuários, não obstante, Guijarro reconhece que resulta difícil conhecer a repercussão real que este instrumento informático está tendo nas adoções.

«Antes de feira fizemos a última atualização dos cães disponíveis porque tinha bastantes adotados e temos o acordo/compromisso com a empresa de atualizar 50 fotos ao mês», matiza/precisa o delegado. Esta ferramenta, que supôs para a Câmara Municipal um investimento duns 1.600 euros destinados ao design, se enquadra na política do Plantel/elenco de Governo de conseguir o «sacrifício zero» na cidade.

As notícias mais...