Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 21 de septembro de 2017

{Raquel} Bravo deixa a ata por «motivos profissionais»

Diz que sua marcha «não tem nada a ver» com a denúncia pelos ruídos

R. E. MÉRIDA
02/09/2017

 

A vereadora do PP Raquel Bravo apresentou ontem sua renúncia ao ata de vereador «por motivos estritamente profissionais». Bravo remeteu um escrito/documento ao presidente da Câmara Municipal no qual explica que seus {nuvas} responsabilidades laborais (é arquiteto de profissão) necessitam «exclusividade horária» e que por isso tem tomado a decisão de apresentar sua renúncia voluntária. Bravo, que ocupou o número 5 na candidatura do PP, é a terceira vereadora que sai das filas populares depois da marcha de Juan Manuel Prieto e Agustín Delgado, que não chegaram a tomar posse de sua ata.

Bravo será previsivelmente substituída por Francisco Miranda, que também teve responsabilidades de governo com Pedro Acedo na passada legislatura. A própria Bravo assegurou ontem a este diário/jornal que sua marcha «não tem nada a ver» com a causa judicial aberta contra ela por supostamente ignorar as denúncias por ruídos no pub Rebuçado, algo pelo que a Procuradoria solicita uma pena de dois anos de prisão e nove de {inahabilitación} por um delito de prevaricação ambiental.

As notícias mais...