Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 19 de agosto de 2019

«Quando {estás} num trabalho que te gosta, o fazes bem e com o coração»

LYDIA SÁNCHEZ merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
12/08/2019

 

A {Fashion} {Week} de Madrid, o Festival Internacional de Teatro Clássico de Mérida, os Prémios {Ceres}, passarelas da Extremadura, casamentos por tudo o país, colaborações em programas de televisão da região e seu próprio estabelecimento. Isto é tudo o que abrange o cabeleireiro emeritense Manuel Barrena, um amante da cabeleireiro cuja paixão lhe levou a formar-se com profissionais da talha de Vidal Sassoon.

&{lt};b&{gt};-¿Como lhe começou a gostar o tema da cabeleireiro?&{lt};/b&{gt};

-O vivia desde pequeno porque uma de minhas irmãs era cabeleireira. O tenho em minha mente desde que {nací} e sempre soube que queria dedicar-me a isto.

&{lt};b&{gt};-¿É complicado alcançar níveis tão altos neste mundo?&{lt};/b&{gt};

-Não muito, temos de saber e temos de procurar. Se te gosta, é mais fácil. Quando {estás} fazendo um trabalho que te gosta, o fazes bem e com o coração, não é como quando {estás} trabalhando em algo obrigado porque não te fica outra e o fazes a desgosto e te incomoda.

-&{lt};b&{gt};¿Que é o melhor e o pior de trabalhamos/trabalhámos num evento da talha da {Fashion} {Week} de Madrid?&{lt};/b&{gt};

-O melhor de tudo é que é um curso rápido e acelerado porque {estás} cinco dias trabalhando de sol a sol. Tudo o que tu {puedas} aprender num curso de criação de cabeleireiro ou de penteados o {descubres} aí em apenas uns dias, é um curso intensivo sobretudo pela velocidade, porque os desfiles saem cada 20 minutos e temos esse tempo para pentear a todas as raparigas. Por isso tenho agora mais facilidade quando tenho a muitas pessoas na cabeleireiro para casamentos e eventos. Não digo que tarde em fazê-lo cinco minutos, mas sim tenho essa agilidade para fazê-lo rápido e bem. O negativo, por dizer algo, é que sempre que ia me punha muito nervoso porque não {sabes} o que te vais a encontrar, ali te dizem ao dia o que vais a fazer.

&{lt};b&{gt};-¿Quais são seus referentes na hora de criar penteados?&{lt};/b&{gt};

-Me fixo muito na moda e o cinema. Além disso, eu lhe peço a todas as pessoas que sejam naturais, que não peçam penteados rococó cheios de {laca} onde o cabelo não se pode nem mover. De facto, a todas as clientes lhes digo que me tragam uma foto duma atriz que tenha ido aos Goya ou aos Oscar porque são penteados súper naturais que parece que se os fizeram elas, embora logo têm detrás a muitos cabeleireiros.

&{lt};b&{gt};-¿Ficaria com algum dos sítios onde trabalha ou colabora?&{lt};/b&{gt};

-Com todos, e se saem mais, melhor. Uma jovem que trabalha aqui comigo vai à Barcelona Bridal Fashion Week, que é só/sozinho de namoradas. Eu a isso ainda não tenho ido, por exemplo, e adoraria ir.

&{lt};b&{gt};-¿Qual considera que foi sua maior conquista até agora?&{lt};/b&{gt};

-Ainda não chegou, tenho 50 anos mas me fica muito e espero que algum dia chegue. Não sou conformista, acredito/acho que algum dia acabará saindo algo ainda melhor.

&{lt};b&{gt};-¿Que gostaria de fazer profissionalmente no futuro?&{lt};/b&{gt};

-Com 60 anos não me vejo de cabeleireiro, o que gostaria fazer são novos penteados que surgem mas que não toda a gente se deixa fazer porque são bastante atrevidos. Mas o que adoraria seria montar uma academia e formar aos futuros cabeleireiros.

&{lt};b&{gt};-¿Que lhes diria àqueles que querem dedicar-se a isto?&{lt};/b&{gt};

-Que querer é poder/conseguir e que lhes vai custar porque há muitos obstáculos na vida, sobretudo agora que há muito desemprego e não toda a gente te dá trabalho, mas que se gostam de verdadeiramente, que sigam/continuem para adiante e o vão a acabar conseguindo.

As notícias mais...