Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

O plenário/pleno aprova iniciar/dar início os trâmites para elaborar um novo plano urbano

O objetivo é que a ordenação futura dê resposta às necessidades atuais. {Yáñez} diz que a redação se baseará na participação e levará quatro anos

CARMEN HIDALGO merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
28/02/2020

 

Primeiro trâmites superado com êxito. Os grupos da corporação municipal aprovaram ontem por unanimidade o início dos trâmites para a redação de um novo Plano Diretor Municipal e Plano Especial do Conjunto/clube Histórico-Arqueológico. A porta-voz do governo local, Carmen Yáñez, destacou que o plano de ordenação urbana que está em vigor data do ano 2000 e «não responde às necessidades {socieconómicas} desta cidade», ao passo que deve de adaptar-se aos mudanças legislativas que se produziram durante estas duas décadas, tanto/golo a nível regional como estatal.

Sobre/em relação a este assunto, a delegada explicou que aprovar o início da tramitação supõe um primeiro passo para redigir este plano urbano, um processo que pode levar quatro anos e que será desenvolvido por uma empresa especializada e externa à Câmara Municipal. «Queremos que seja um plano mais justo, igualitário e, sobretudo, que saia adiante com o consenso de todos os grupos políticos», apontou a vereadora, quem destacou que também se terá em consideração as contribuições da cidadania, já que este plano marcará o presente e o futuro da cidade.

«Necessitamos um plano mais moderno, mais sustentável, que responda também às novos regulamentos de acessibilidade, de eficiência energética, de novas tecnologias e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ({ODS}) que queremos pôr em valor», sublinhou Yáñez. Entre outros aspetos, a vereadora informou de que o plano em vigor apresenta erros de nota do chão que afetam tanto/golo a particulares como ao próprio consistório, além disso, não dá resposta a «necessidades» da cidade «como que tenhamos maior/velho número de chão industrial». Também precisou que se manterão aquelas questões do plano atual que tenham validade para o modelo de cidade que se quer.

O resto dos grupos da corporação (PP, Unidas por Mérida, Ciudadanos e Vox) coincidiram na necessidade de redigir um novo plano de ordenação, bem como no desejo de que para sua elaboração se tenham em contam as propostas que formulem.

ajudas sociais // Na sessão plenária também saiu adiante, apesar da abstenção do grupo popular, a ordenança municipal reguladora das ajudas económicas municipais de carácter extraordinário para a atenção das necessidades sociais. Segundo informou a delegada de Serviços Sociais, {Catalina} {Alarcón}, por meio de esta ordenança «queremos criar pela primeira vez um quadro jurídico que regule estas ajudas para atender todas as necessidades sociais». Entre outras questões, o regulamento regulará aspetos relacionados com as ajudas como a tipologia, financiamento, objetivos, beneficiários e requisitos, documentação para acolher-se e tramitação.

Por outro lado, o PP apresentou «de urgência» uma moção pelo Dia da Mulher o próximo 8 de Março, uma iniciativa que se somou a sendas propostas de Unidas por Mérida e o PSOE neste sentido. As três iniciativas se debateram de forma combina, embora se votaram por separado, pelo que não se chegou a um acordo para estabelecer uma declaração institucional combina para o 8-M.

As notícias mais...