Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 17 de janeiro de 2018

{Osuna} destaca o interesse/juro empresarial e o aumento do turismo neste ano

Afirma que o desemprego tem descido um 7,6% e que os contratos têm crescido quase um 30%. Para além de a planta {azucarera}, no 2018 verão a luz novos projetos industriais

ROCÍO ENTONADO
30/12/2017

 

Se o 2016 não foi o melhor ano, no 2017 Mérida se recupera. Tanto/golo, que neste exercício «se fez mais que em toda a legislatura passada». O presidente da Câmara Municipal, Antonio Rodríguez Osuna, destacou ontem em seu balanço anual o incremento do turismo na cidade, que «atira» do sector na Extremadura com um 30% mais de visitantes, e também o interesse/juro que mostraram diversas indústrias por instalar-se aqui. Prova de isso é que independentemente de que a {azucarera} finalmente se fique ou não, há outros projetos em pasta que terminarão de ver a luz em 2018.

Entre eles uma planta fotovoltaica de 30 megawatts que se localizará na estrada de Alange (na quinta ‘A {Fernandina}’, face à antiga {Resti}), um projeto do qual Osuna ontem não quis dar detalhes à espera de que seus promotores o apresentem em Janeiro. O presidente da Câmara Municipal também citou os supercarregadores de {Tesla} no polígono industrial El Prado, a central hortofrutícola de Fazendas {Bio} ou a planta de fornecimentos industriais {Emesur}, também El Prado.

EMPREGO / «Sem nenhuma dúvida, estamos no caminho para recuperar a vocação industrial dos anos 50 e 60, porque uma cidade não pode viver só/sozinho do sector serviços», afirmou Osuna. Neste sentido, destacou as facilidades burocráticas e administrativas que desde a Câmara Municipal se deram às empresas que quiseram instalar-se em Mérida ou a modificação das ordenanças para estabelecer bonificações fiscais em função da investimento.

O objetivo de tudo isso, insistiu, é a criação de emprego, pois «não há melhor política social que essa». O presidente da Câmara Municipal destacou o impacto que estes grandes investimentos vão ter nos próximos anos na criação de postos de trabalho, embora também salientou os conquistas conseguidas até à data neste âmbito. Segundo seus dados, o desemprego tem descido neste ano um 7,6%, enquanto a contratação tem crescido um 28%. Assim, se passou de 8.454 desempregados em 2015 a 7.108 na atualidade, quase 1.350 menos. «Vamos continuar a trabalhar para continuar descendo estas cifras, porque nem estamos satisfeitos nem nos {resignamos} a elas», afirmou Osuna.

Em seu balanço, o primeiro vereador também pôs a manifesto o bom comportamento do turismo: o número de visitantes tem crescido um 30% em média em relação ao ano anterior, «triplicando os dados registados no conjunto/clube da região». Além disso, as dormidas também aumentaram, já que a ocupação média/meia na maior parte dos fins-de-semana de Março a Dezembro chegou ao 90%. Uns dados aos que têm contribuído eventos como o Festival de Teatro Clássico, a Páscoa, Emérita Lúdica ou o festival ‘Stone {and} Music’, que tem conseguido «uma ocupação excecional» em setembro.

Assim, assinalou que o 2017 foi «um ano magnífico» para o turismo em Mérida, com dados que mesmo poderiam melhorar em 2018 graças a que o 25 aniversário da declaração de Mérida como cidade património da humanidade foi considerada como um acontecimento de especial interesse/juro público pelo Governo.

Por último, em matéria de infraestruturas, Osuna destacou que neste ano se conseguiram três marcos «históricos» pendentes desde há anos: a reforma do cinema María Luisa, que já foi licitada; os novos quiosques da praça/vaga de Espanha e a adequação do mercado de {Calatrava}. Esta última será além disso um dos grandes reptos/objetivos para o 2018.

As notícias mais...