Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de junho de 2018

Once empresas apresentam ofertas à reforma do teatro María Luisa

Tras nove anos de atraso, as obras começarão em Março e acabarão no 2019. O investimento prevista para a reabilitação do imóvel é de 3,4 milhões de euros

ROCÍO ENTONADO
13/01/2018

 

Avançam os trâmites para a reforma do teatro María Luisa. Um total de 11 empresas concorrem ao concurso para executar os trabalhos, licitados pelo Ministério de Fomento no passado mês de Novembro com um orçamento de 3,4 milhões de euros. O prazo de apresentação de ofertas terminou no passado 8 de Janeiro e à falta de receber/acolher alguma mais por correio, o departamento que dirige Íñigo de la Serna confirma que são 11 as que se têm interessado. A previsão é que a obra comece em Março de 2018 com um prazo de execução de 20 meses, de forma que estaria concluída em Novembro do ano 2019.

Segundo informa o ministério, agora o seguinte passo será a reunião da mesa administrativa, na qual se valorizará a documentação correspondente. Depois terá lugar uma mesa técnica na qual se procede, em ato público, à entrega da documentação técnica ao plantel/elenco da Subdireção Geral de Arquitetura e Edificação, aos efeitos de sua avaliação. A seguir se reunirá a mesa económica, na qual se procede, também em ato público, à comunicação do resultado da avaliação técnica e a abertura das ofertas económicas apresentadas.

PRAZOS / De acordo ao anúncio de licitação publicado no Boletim Oficial do Estado ({BOE}), a abertura de ofertas técnicas será o 26 de Janeiro, e o 16 de Fevereiro a de ofertas económicas. Se alguma delas não cumprissem os requisitos, se procederá depois a dar audiência aos licitadores, aos efeitos de valorizar a viabilidade de as suas ofertas. Por último, se reunirá a Mesa de Adjudicação, na qual se propõe ao ministério a adjudicação à oferta melhor valorizada. Depois já só/sozinho ficaria formalizar o contrato para o começo das obras, que está previsto para o mês de Março.

O projeto conta com um orçamento de 3.491.468 euros para uma reabilitação integral, pois o próprio ministério reconhece que o prédio está «muito deteriorado» após anos de abandono. Assim, se renovarão todos os espaços: vestíbulos, corredores, sala de espectadores, cenário, serviços e cobertas. Só/sozinho se manterá a fachada originalíssima.

Como se recordará, o primeiro convénio que assinou-se entre o Governo, a Junta (depois se retirou do projeto) e a Câmara Municipal data do ano 2009, com a previsão de que as obras estivessem listas em 2011. Tras os reiterados incumprimentos, o objetivo agora é que os trabalhos acabem em 2019 para voltar a celebrar o concurso do carnaval e inclusivamente obras do Festival de Teatro Clássico.

As notícias mais...