Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de junho de 2018

O novo comissário dará prioridade à violência de género e ao acosso escolar

{Aurelio} Fernández aposta em previr os furtos e roubos em zonas monumentais. Ferreira destaca que a cidade reduziu dois pontos em 2017 a taxa de criminalidade

CARMEN HIDALGO merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
09/01/2018

 

Combater a violência de género e o acosso escolar são os objetivos prioritários que se marca o novo comissário-chefe da Esquadra de Polícia Nacional de Mérida, {Aurelio} Fernández Sánchez, de 57 anos e natural de Talarrubias (Badajoz), quem ontem tomou posse do seu cargo em substituição de María Elisa Fariñas. Também se propõe manter o baixo/sob/debaixo de índice de delinquência que tem a cidade, garantir a segurança do Governo autonómico e da Assembleia regional, bem como a prevenção de roubos e furtos em zonas monumentais.

Para Fernández, que estará à frente duns 250 efetivos que conformam o pessoal da esquadra emeritense, a violência de género é «o verdadeiro terrorismo do século XXI», pelo que lutar contra este flagelo será «um objetivo prioritário», para além da defesa da convivência escolaridade. O novo comissário, que ingressou no Corpo Nacional de Polícia em 1980, afirmou que outras linhas de ação que centrarão o seu trabalho serão a luta contra o tráfico de drogas e os delitos contra as pessoas e de ódio. Em a sua pretensão de vigiar as zonas patrimoniais com o fim de não perturbar a imagem turística de Mérida, o trabalho se realizará sempre em coordenação com o corpo da policia municipal e a guarda civil.

Durante seu revezo de palavra após ser empossado, Fernández destacou que Mérida é uma cidade «segura, amável e tranquila», ao passo que comprometeu-se a trabalhamos/trabalhámos para «melhorar a qualidade dos emeritenses». Tudo isso, assinalou, num aposta em a colaboração cidadã ao oferecer-se como «um interlocutor diretor e próximo» do corpo policial com os diferentes coletivos sociais da cidade. «Tenho a paixão de quem acredita em seu trabalho», afirmou.

Ao ato assistiu também a delegada do Governo na região, Cristina Herrera, que deu a conhecer a melhoria nos índices de delinquência registados em Mérida, ao informar de que a taxa de delinquência se reduziu em dois pontos durante o 2017 em relação ao ano anterior. Concretamente, Mérida foi a cidade da Extremadura onde «mais tem descido» a taxa de criminalidade no último ano.

DEFESA DO PATRIMÓNIO // Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal de Mérida, Antonio Rodríguez Osuna, estendeu sua mão a Fernández para «trabalhamos/trabalhámos cotovelo com cotovelo» pela cidade, já que a polícia nacional em Mérida é «{importantístima}». O primeiro vereador, tal como manifestasse na sua intervenção o novo comissário, apostou em «seguir/continuar lutando contra o vandalismo» nos espaços monumentais, ao qualificar estas ações como uma das principais preocupações do Governo local. Além disso, Osuna salientou que Mérida é «uma das cidades mais tranquilas da Extremadura e de Espanha».

O último em intervir para fechar o ato foi o presidente da Junta de Extremadura, Guillermo Fernández Vara, quem indicou que o terrorismo jihadista e a violência de género são os dois «grandes reptos/objetivos» contra os que há lutar na atualidade. O chefe do Executivo extremenho sublinhou que os polícias são «muito importantes» para a sociedade, já que «o delito se persegue quando só/sozinho está na mente do delinquente e ainda não o perpetrou».

As notícias mais...