Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

A Junta tira a concurso a dotação de mobiliário para o arquivo geral

O Governo regional autoriza a licitação por 714.058 euros a cargo dos orçamentos. O fornecimento do equipamento aproxima a posta em marcha das instalações

REDACCIÓN merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
06/09/2017

 

Avanços para a abertura da sede do Arquivo Geral da Extremadura na cidade. O Governo regional dá um passo mais para dar início uma infraestrutura que foi {recepcionada} em Junho de 2015, após um investimento superior aos dez milhões de euros. Concretamente, o Conselho de Governo da Junta de Extremadura autorizou ontem a contratação do fornecimento e instalação do mobiliário do arquivo regional mediante procedimento aberto, por um montante máximo que ascende a 714.058,57 euros, dentro de os Orçamentos Gerais da Comunidade Autónoma para 2017.

A finalidade do arquivo é a de ordenar e armazenar toda a documentação histórica da comunidade, a que gere a Administração e a que está relacionada com Extremadura, que agora encontra-se registada em arquivos nacionais e noutras dependências. Segundo indica o Governo regional, a Administração está obrigada à custodia, conservação, organização, descrição e, em caso de que fora necessário, à difusão dos fundos. Também deve instalar os arquivos de uso público nos prédios que reúnam as condições adequadas para que estes «disponham das suficientes condições de segurança e contem com os adequados meios de conservação de fundos documentários».

Cabe destacar que o arquivo está pendente de receber/acolher o equipamento para sua entrada em funcionamento, pelo que esta saída a licitação implica que a posta em marcha da instalação está mais perto de ser uma realidade. Desde que a Junta {recepcionara} o prédio, os orçamentos regionais têm condicionado que o Executivo extremenho pudesse dar continuidade a este projeto mediante a dotação do mobiliário necessário.

Segundo informou a Secretaria de Cultura da Junta em Janeiro do ano passado, o acesso dos cidadãos aos fundos documentários será livre e gratuito, ao passo que ficará subordinado às indicações do pessoal responsável do arquivo regional. Também, se facilitarão cópias dos documentos, {compulsas} ou certificados pelos que se deverá pagar a taxa correspondente.

O prédio que albergará o arquivo geral extremenho encontra-se localizado na avenida de El Prado, foi desenhado pelo arquiteto Carlos Meri Cucart, e consta de um total de 12.000 metros quadrados construídos sobre/em relação a uma superfície útil de 9.400. As obras de construção começaram na primavera do ano 2010 a cargo da empresa extremenha {Joca}, com um investimento total de 10,83 milhões de euros.

As notícias mais...