Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 23 de novembro de 2017

«Há muito desporto base, mas deveria estar melhor atendido»

MIGUEL A. {HERRERAPresidente} da E.F. Emérita {Augusta}

por MANUEL LÓPEZ merida@extremadura.elperiodico.com
28/08/2017

 

Um clube que aposta em o futebol base e que conta com mais de 300 meninos em suas filas. Assim é a Escola de Futebol Emérita {Augusta} e seu presidente, Miguel Ángel Herrera, analisa a situação pela que passa a entidade após um apoio da Câmara Municipal de 12.000 euros.

-¿Que supõe este patrocínio de 12.000 euros para o clube?

-É um dinheiro que vai destinado só/sozinho para o primeiro plantel/elenco e supõe que possamos sair neste ano em Primeira Divisão Extremenha. Falamos com o presidente da Câmara Municipal e lhe dissemos que era muito complicado que a equipa {saliera} porque isto subida um dinheiro e se a Câmara Municipal não nos apoiava, que éramos o único plantel/elenco da Primeira Divisão extremenha que não tínhamos apoio municipal, era muito complicado sair com os rendimentos de bilheteiras e quatro adubos/prestações/pagamentos que fizéssemos.

-¿Qual é o objetivo desportivo neste ano?

-O objetivo é manter a filosofia de que os rapazes que sobem da pedreira/formação joguem. Temos tido a sorte de que o primeiro ano que saímos {ascendimos} a Segunda Divisão Extremenha, o ano seguinte {ascendimos} a Primeira Divisão Extremenha e o seguinte a Terceira. Um dos objetivos que temos tido sempre era o de ser um clube imagem e o estamos conseguindo. É estranha a equipa de Terceira próximo a Mérida que não tenha jogadores {salidos} do Emérita {Augusta}.

-¿Quantos meninos formam a E.F. Emérita {Augusta}?

- No passado ano tivemos aproximadamente uns 300 meninos federados e um curso de iniciação duns 30 meninos de 4 anos. Neste ano está vindo mais pessoas, pela desaparição do Mérida Clube de Futebol. Nosso problema é que quantos mais meninos tenhamos mais problemas de treino teremos. Há dias que temos três equipas treinando no campo de futebol 11.

-¿Como se financia a pedreira/formação?

-Como entidade sem fins lucrativos que somos, nos {financiamos} das cotas dos rapazes, na qual entra a mutualidade, a federação, arbitragens, deslocação e roupa. Também com a lotaria de Natal, um sorteio de primavera com uma viagem, com o apoio dalgumas casas comerciais e com alguns pais, aos que quero dar as graças, com as t-shirts. Faz tempo já retiraram os subsídios municipais ao futebol base e outra da Junta de Extremadura. Agora já não há subsídio de nenhuma instituição pela crise e além disso o Partido Popular pôs que se pagasse pelas instalações municipais, portanto estamos sem rendimentos da Câmara Municipal e da Junta e em cima temos de pagar as pistas. Nós temos concedido o campo por 25 anos mas tudo a manutenção o {pagamos} nós.

-¿Como vê o desporto base de Mérida?

-Acredito/acho que há muito desporto base mas acredito/acho que deveria estar melhor olhado desde o ponto de vista de atenção e de instalações. Sei que manter uma instalação desportiva subida dinheiro. A gestão que tem o Emérita com o campo se calhar seria o ideal para a Câmara Municipal, que cada plantel/elenco tivesse suas instalações mas há muitas equipas e é complicado que tenha instalações para todos. Quanto ao manutenção, não podemos permitir-nos o luxo de atirar-nos os anos que estivemos como estavam as instalações de La Paz, onde se usava o campo de fora mas dentro nem balneários, nem portas, nem duches, embora já se têm arranjado. Também é algo importante fazer ver a monitores, meninos e pais que temos de cuidar as instalações, as pessoas tem que ser mais cívica.

&{lt};b&{gt};-¿Crescerá o desporto base da cidade?

&{lt};/b&{gt};- Eu acredito/acho que sim. O desporto cada vez vai a mais porque as pessoas quer vida saudável. É bom que as instalações desportivas e os parques para os maiores/ancianidade estejam bem. Os cidadãos necessitam estar entretidos mas claro, este manutenção subida muito dinheiro. O apoio do serviço público tem que ser importante e se pode dar, outra coisa é a gestão política ou gestão pública que se faça de isso.

As notícias mais...