Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de junho de 2018

Os cofres municipais ingressarão uns 400.000 euros mais pelo {IBI}

A câmara municipal prevê embolsar-se neste ano 13.821.721 euros pela contribuição urbana. A arrecadação pelo {IBI} de natureza rústica se estima em 1.400.000 euros

CARMEN HIDALGO merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
25/05/2018

 

Mais rendimentos para os cofres municipais. A Câmara Municipal de Mérida se embolsará neste ano uns 400.000 euros mais procedentes do Imposto de Bens Imóveis ({IBI}) em relação ao passado exercício. Apesar de este incremento, a arrecadação se mantém abaixo da obtida em anuidades anteriores através de este tributo que grava a propriedade imobiliária e que se configura como a principal via de rendimentos da Câmara Municipal.

Segundo os dados dados a este diário/jornal pela porta-voz do governo municipal, Carmen Yáñez, neste ano se emitirão um total de 45.146 recibos pelo {IBI} urbano, o que suporá uma arrecadação global de 13.821.721 euros, no caso de que se ingressem o total dos recibos que vão a pôr ao cobrança. O censo do {IBI} urbano do passado período tributário contava com 43.811 valores e um montante estimado que ascendia a 13.414.137 euros. Em relação ao {IBI} rústico, se estima uma arrecadação de 1.400.000 euros, enquanto o ano passado a estimação foi de 1.424.715 euros.

O Organismo Autónomo/trabalhador independente de Arrecadação ({OAR}), entidade dependente da Diputación de Badajoz na qual a Câmara Municipal delega a gestão tributária, iniciará hoje o período voluntário de cobrança do {IBI} urbano e rústico, um prazo que se estenderá até ao próximo 31 de Julho. No caso dos recibos que estejam domiciliados, os cargos em conta começarão o 29 de Maio.

Sobre/em relação a este assunto, cabe destacar que o montante que pagarão os contribuintes estará determinado pelo valor do imóvel em questão bem como pela capacidade regulamento que pode exercer cada governo municipal, já que as Câmaras Municipais são os que fixam o tipo impositivo que se aplicará aos imóveis. A Lei de Fazendas Locais fixa para os bens urbanos um mínimo do 0,4% e um máximo do 1,1%.

No caso de Mérida, o tipo do {IBI} geral está fixado num 0,70%. Cabe {recordar} que em 2015 a equipa de governo tentou aumentar o tipo até um 0,745%, no entanto, a proposta não saiu adiante pelos votos contra da oposição/concurso público no plenário/pleno que teve lugar em Julho desse ano. Em Janeiro de 2016 entrou em vigor a nova palestra do cadastro após a revisão cadastral que se levou a cabo por parte da gerência territorial do Cadastro na Extremadura para reparar as deficiências da anterior, que estava vigente desde o ano 2010, e ajustar os valores à situação do mercado.

As notícias mais...