Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 21 de agosto de 2018

A cidade albergará uma {incubadora} de alta tecnologia para 10 empresas

Potenciará o I+D empresarial através da economia circular e da bioeconomia . O orçamento inicial é de 1.473.208 euros e prevê-se que esteja operacional num ano

CARMEN HIDALGO merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
30/05/2018

 

A cidade contará com uma {Incubadora} de Alta Tecnologia em Bioeconomia e Economia Circular, que albergará uma dezena de empresas inovadoras e de base tecnológica, com o objetivo de potenciar a inovação, a investigação e a competitividade de um sector estratégico e com um alto potencial de crescimento na Extremadura. As futuras instalações, que previsivelmente estarão operacionais no prazo de um ano, se localizarão nos terrenos do Instituto/liceu do Cortiça, a Madeira e o Carvão Vegetal ({Iprocor}-{Cicytex}), no polígono industrial o Prado.

A infraestrutura conta com um orçamento inicial de 1.473.208 euros, dos que um 80% procedem dos fundos {Feder}. O conselheiro de Economia e Infraestruturas, José Luis Navarro, explicou ontem que a adjudicação deste projeto para a região se publicou no passado 16 de Maio no Boletim Oficial do Estado ({BOE}). A proposta da Fundação {Incyde}, adjudicatária do projeto, foi impulsionada pelo Centro de Investigações Cientistas e Tecnológicas da Extremadura ({Cicytex}), dependente do governo regional, por {Fundecyt} Parque Científico y Tecnológico de Extremadura, e pela Câmara de Comércio de Badajoz.

Após a assinatura do acordo entre as entidades participantes, o conselheiro destacou que estas instalações fazem parte da aposta do executivo por «um modelo económico sustentável em economia verde e circular», que permitirá dar apoio à I+D empresarial, já que possibilitará que surjam novos projetos económicos num sector no qual até agora Extremadura tinha escassas iniciativas. Para Navarro, trata-se de conseguir «a modernização da nossa economia a partir de nossos recursos naturais».

O presidente da Câmara Municipal de Mérida, Antonio Rodríguez Osuna, manifestou que com esta infraestrutura se faz realidade uma iniciativa que começou a {gestarse} em 2016 desde a Câmara Municipal. Neste sentido, o primeiro vereador sublinhou que a {incubadora} «vai a atrair novos mercados para a cidade», para além de «prosperidade e futuras investimentos». «{Construimos} Mérida como uma cidade industrial para além de os Serviços», sublinhou.

Por seu lado, o diretor-geral da Fundação {Incyde}, Javier Collado, assinalou que a fundação vai a impulsionar um investimento de 40 milhões de euros para dar início cinco {incubadoras} deste tipo em toda A Espanha e salientou a «importância» de que a primeira tenha sido a de Mérida.

A {incubadora} ocupará dois naves integradas no complexo de {Iprocor}, que albergarão laboratórios comuns e individuais, escritórios, salas de reuniões e uma planta de processos para localizar a escala {pre}-industrial e provar seu funcionamento. Esta instalação oferecerá às pme uma completa gama de serviços avançados que permitam, duma forma eficaz, criar e levar a mercado novos produtos e processos.

As notícias mais...