Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 8 de dezembro de 2019

A Câmara Municipal investe 89 euros por habitante em políticas sociais

O desembolso total nesta matéria ascendeu em 2018 a 5,2 milhões de euros. A câmara municipal investiu cinco euros mais, em relação à liquidação orçamental de 2017

CARMEN HIDALGO merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
02/12/2019

 

Mais despesa para a prestação de serviços sociais. Os processos e investimentos que tem desenvolvido a Câmara Municipal em matéria de políticas sociais, tendo como base a liquidação do orçamento municipal de 2018, atiram um investimento por habitante de 89,04 euros. No exercício orçamental anterior, esta cifra se situava em 84 euros, cinco euros abaixo. Segundo a delegada de Serviços Sociais, {Catalina} {Alarcón}, a parte «mais importante» do orçamento municipal se dedicou a políticas sociais, já que o investimento total alcançou 5.284.928,83 euros, que por habitante (59.352 pessoas) oferece a cifra de 89,04 euros.

Desta forma, a vereadora desmente os dados de um relatório/informe elaborado pela Associação de Diretores e Gerentes de Serviços Sociais, que cataloga à Câmara Municipal emeritense como ‘pobre’ em prestação de serviços sociais, ao assegurar que conta com um orçamento inferior ao 60% da mediana de despesa dos municípios com mais de 20.000 habitantes durante o exercício 2018. «O relatório/informe não reflete a realidade da investimento que a Câmara Municipal realizou em 2018 e que, apesar das dificuldades económicas, manteve como prioridade às pessoas», destaca.

O relatório/informe analisa os orçamentos que as câmaras municipais dedicam a serviços sociais e promoção social com dados do Ministério de Finanças. «Os dados não se correspondem com a realidade e serão remetidos a esta associação para que retifiquem porque olham verbas/partidas funcionais, obviando outras como planos de emprego, pessoal, etc., e outras verbas/partidas orçamentais», aponta.

De forma detalhada, a câmara municipal destinou a Serviços Sociais 1.470.453 euros (pessoal incluído) em ajudas e programas como mínimos vitalistas/vitais, material escolar, emergência social, teleassistência e fundo de garantia social, entre outros. Em igualdade se investiram 108.926 euros; em atenção à deficiência, 878.032 euros; juventude, 266.213 euros; plano de emprego social, 1.147.079 euros; e plano experiência, 1.387.751 euros. «A estas cifras se somam o investimento nas delegações de Diversidade, Habitação, Cooperação e Maiores/ancianidade», precisa.

As notícias mais...