Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 20 de septembro de 2018

A Câmara Municipal insta a {desbrozar} as parcelas antes de final de Junho

Se os proprietários não limpam, fá-lo-á a câmara municipal com cargo

REDACCIÓN
09/06/2018

 

O presidente da Câmara Municipal de Mérida, Antonio Rodríguez Osuna, tem ditado um Bando Municipal para que os proprietários das parcelas da cidade que não foram {desbrozadas} procedam a sua limpeza e cuidado antes de finalizar Junho e de não realizá-lo em prazo, fá-lo-á a câmara municipal dentro de estes particulares. O bando se publica agora devido a que o período de chuvas ainda não tem terminado e, portanto, realizar o {desbroce} anteriormente, tivesse suposto ter tido que realizá-lo novamente, segundo informou ontem a Câmara Municipal emeritense através de uma nota de imprensa.

O bando assinala que as passadas chuvas sazonais e as condições climatológicas atuais, geraram uma grande quantidade/quantia de pastos e vegetação nos terrenos da cidade, situação que, além disso, pode incidir no incremento de insetos e roedores. Isto implica, para além de «um respeitado dano estético», «um grave risco» de produção de incêndios que põem em perigo tanto/golo a segurança das pessoas como do património.

Na comunicação se recorda que Mérida estabelece no capítulo II da Ordenança municipal Reguladora de Limpeza Rodoviária, diversas obrigações acerca da limpeza e manutenção de terrenos por parte de seus titulares. Neste sentido, se apela à «consciencializa cívica» dos titulares, bem como ao «obrigado respeito» dos deveres que a legislação lhes impõe, para que «mantenham estes terrenos nas devidas condições de segurança, salubridade e {ornato} público». Desta maneira, o bando ordena aos proprietários das parcelas localizadas em chão urbano e terrenos limítrofes para que, antes da finalização do presente mês, procedam a sua limpeza integra, eliminando particularmente a vegetação, «tal como exige o artigo 163 da Lei 15/2001 do Chão e artigo 10 do Regulamento de Disciplina Urbanística».

Se decorrido o prazo antes assinalado não têm procedido a sua limpeza, a Câmara Municipal executará os trabalhos a sua costa, ao abrigo da ordenança e o regulamento vigente, e se procederá a abrir o correspondente processo sancionador. Por isso, a instituição apela à consciencialização cidadã.

As notícias mais...