Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 20 de outubro de 2018

O cadáver encontrado no rio Guadiana não apresenta signos de morte por violência

A polícia segue/continua com as investigações para determinar sua identidade

R. E. MÉRIDA
30/12/2017

 

O cadáver encontrado na quinta-feira passada no rio Guadiana não apresenta signos de morte por violência, segundo a informação facilitada ontem por fontes da Delegação do Governo de acordo à autópsia praticada no Instituto/liceu de Medicina Legal de Badajoz. Não obstante, ainda não se tem podido constatar a identidade do falecido, de forma que as investigações para isso seguem/continuam seu curso.

O corpo poderia pertencer a um homem duns 40 ou 50 anos e como se recordará, apareceu na quinta-feira passada flutuando nas águas do rio Guadiana a uns dois quilómetros do centro urbano, junto à estrada de Alange e o armazém de {Casamayor}. Foram os operários da empresa pública {Tragsa} aqueles que deram a voz de alarma sobre/em relação a as dez e média/meia da manhã ao encontrar o corpo, em avançado estado de descomposição, enquanto realizavam trabalhos de limpeza de camalote. Ao lugar se deslocaram os bombeiros e agentes da polícia nacional, que transferiram o cadáver até à beira numa das barcas dos trabalhadores.

Sobre/em relação a as 13.30 horas, a autoridade judicial autorizou o levantamento do corpo, que foi transferido ao Instituto/liceu de Medicina Legal de Badajoz. A autópsia, segundo confirmou a delegada do Governo, Cristina Herrera, começou ontem às nove e média/meia da manhã. Após descartar uma morte violenta, a investigação centra-se agora em determinar a identidade do falecido.

As notícias mais...