Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 17 de janeiro de 2018

Aparece o cadáver de um homem flutuando no leito do Guadiana

No tem transcendido ainda a identidade da pessoa nem as causas de seu falecimento. O corpo do homem encontrava-se num avançado estado de descomposição

CARMEN HIDALGO
29/12/2017

 

O corpo sem vida de um homem apareceu ontem flutuando no rio Guadiana a seu passo por Mérida. O cadáver, que se encontrava em avançado estado de descomposição, foi encontrado sobre/em relação a as dez e média/meia da manhã por trabalhadores de {Tragsa}, a empresa encarregada de realizar os trabalhos de retirada do camalote. Cabe destacar que por enquanto se desconhecem as causas do falecimento e a identidade da pessoa, já que ao fecho desta edição ainda não tinham transcendido os resultados da autópsia que se lhe estava realizando ao corpo na tarde de ontem.

Os operários da empresa localizaram o corpo entre o camalote enquanto realizavam os seus trabalhos, a uns 30 metros da beira. Esta zona do rio encontra-se junto à estrada de Alange, à altura da empresa {Casamayor}, a uns dois quilómetros de distância da cidade. Segundo informaram a este diário/jornal fontes próximas à investigação, o homem poderia ter uns 50 anos, no entanto, o mau estado em que se encontrava o corpo dificultava conhecer a idade do falecido com maior exatidão.

Nesta linha, as mesmas fontes indicaram que o facto/feito de que o cadáver se localizasse no rio não ajudava também não a esclarecer em primeira minuta a procedência do falecido, embora apontaram que a corrente do leito ia de Alange em direção a Mérida.

Quando os operários deram o aviso do achado ao centro de urgências e emergências 112 da Extremadura, até ao lugar do acontecimento se deslocaram os serviços de emergência, os bombeiros, bem como vários forças da polícia local e da polícia nacional.

Um casal de agentes da polícia nacional foi quem se deslocou numa barca dos operários de {Tragsa} até ao corpo sem vida do homem para transferi-lo até à beira do rio, onde permaneceu no chão até que sobre/em relação a as doze e média/meia se produziu o levantamento do cadáver por parte da autoridade judicial. Segundo informaram fontes da Delegação do Governo, o corpo foi transferido ao Instituto/liceu Anatómico Forense de Badajoz para praticarle a autópsia em aras de poder/conseguir identificar ao falecido. Abriu-se uma investigação para esclarecer as causas da morte, já que por enquanto segue/continua sem descartar-se nenhuma hipótese.

As notícias mais...