El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 16 de agosto de 2018

Cristina Herrera inaugura o novo Centro de Formação e de Lazer

Com um investimento de 233.000 euros, as obras geraram 144 contratos. A delegada do Governo salienta a importância do Profeia para o mundo rural

REDACCIÓN prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com BADAJOZ 16/05/2018

A delegada do Governo na Extremadura, Cristina Herrera, inaugurou na segunda-feira passada o Centro de Formação e Lazer de Capilla, que tem suposto um investimento de 120.000 euros financiados pelo Governo através do programa Profeia e a geração de 144 contratos laborais.

A esta quantidade/quantia temos de somar 113.000 euros que tem investido a Câmara Municipal na compra de materiais para a realização do centro, que terá como fim potenciar o empreendimento de mulheres desempregadas e menores de 30 anos. O novo centro –aprovado na convocatória dos fundos do ano 2015- contará com salas de aula de formação a adultos e jovens, que servirão além disso para realizar atividades culturais e de lazer, segundo a presidenta da Câmara Municipal, {Alfonsa} Calderón.

A delegada do Governo assinalou que «cada vez que se faz uma infraestrutura como esta não somente supõe uma melhoria nos serviços que a Câmara Municipal está emprestando, mas para além disso se cria/acredite emprego, e um posto de trabalho é uma família que segue/continua vivendo no povo/vila e não se apresenta sua marcha», afirmou.

Neste sentido, Cristina Herrera destacou que o programa Profeia «é muito importante e estratégico para nossa região, porque serve para evitar a despovoamento nas zonas rurais, um dos grandes desafios que temos neste século XXI».

O PROGRAMA PROFESSA / Do mesmo modo, o programa Profeia tem dois objetivos fundamentais. Por um lado, o que se denomina programa de Garantia de Rendimentos, e cujo objetivo é garantir a viabilidade económica daqueles trabalhadores temporários do campo que dependem das colheitas agrícolas e pecuárias para poder/conseguir trabalhamos/trabalhámos. Mas também há um segundo objetivo, o Plano gerador de emprego estável, para que a ajuda que se põe a disposição dos trabalhadores do campo reverta em benefício de toda a localidade na realização de projetos que beneficiem a todos os vizinhos/moradores.