El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 21 de agosto de 2018

Criam/acreditem um museu sobre/em relação a História da Veterinária na escola oficial

Terá um esqueleto de cão que viveu com o homem no {Calcolítico}. Narrará a evolução da profissão desde o início da domesticação animal

E. P. 13/02/2018

El Colegio de {Veterinarios} de Badajoz inaugurará el próximo 23 de febrero un museo, no qual se reverá a história da Veterinária desde o começo da domesticação de animais no Neolítico. Incluirá uma zona ‘{Quiz} {Show}’ na qual os rapazes, «a modo de concurso televisivo, poderão demonstrar os conhecimentos adquiridos na visita ao museu», através do que se estabelecerá um ranking de Colégios.

Também inclui a sala ‘{Kromavet}’, na qual os visitantes poderão fazer-se fotos com seus personagens favoritos e lugares insólitos, explica o Colegio de Veterinários. Assim, desde a inauguração do museu e durante dois meses, poderá ver-se o esqueleto de um cão que conviveu com o homem do {Calcolítico}, faz uns 4.000 anos, graças aos restos ósseos recolhidos no jazida arqueológica de {Caravaca} da Cruz (Múrcia).

El cão reconstruído, que foi batizado com o nome de {Fíbula}, corresponde à espécie {Canis} {lupus} {familiaris}, é de talha média/meia e bem proporcionado, e segundo a investigação o animal se alimentou principalmente de ossos.

El estudo assinala que {Fíbula} sofreu em vida uma importante fratura de tíbias e perónio do membro {pelviano} direito, o que, na opinião dos científicos/cientistas, deveu produzirle «notáveis limitações no desempenho de suas tarefas como cão pastor ou ajudante na caça».

No entanto, conclui a investigação, tratar-se-ia, provavelmente, de um animal «muito apreciado e querido» pelos habitantes desse povoado {calcolítico}, pois, apesar de essas limitações locomotoras, «morreu a uma idade muito avançada, o que leva a pensar que foi cuidado».

El museu também contará com uma coleção inédita de fotografias sobre/em relação a a erradicação da peste suína africana no ano 1960, que se mostrará na sala de exposições temporárias.

Este museu estará aberto ao público interessado nesta matéria. As entradas custarão um euro, se bem os grupos serão de entre dois e 30 pessoas, e poderão solicitar cita/marcação/encontro prévia no telefone 924230739.