El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 27 de abril de 2018

O PP leva ao plenário/pleno a procura de investimento no novo hospital

Reunião ontem dos representantes das associações com membros do governo. A Escola de Médicos apoia a procura de dinheiro para a nova fase

J. L. B. caceres@extremadura.elperiodico.com CÁCERES 12/01/2018

La presidenta da Câmara Municipal, Elena Nevado, comprometeu-se ontem a que o grupo popular apresentará no plenário/pleno que se celebra na quinta-feira uma moção para instar à Junta a que inclua nos orçamentos autonómicos de 2018 uma verba/partida para a segunda fase das obras do novo hospital. Nevado confirmou a apresentação da moção em declarações recolhidas pela agência Efe após a reunião que manteve com os representantes dos coletivos cidadãos que se têm unido para, entre outros objetivos, demandar que se dê continuidade às obras do novo centro hospitaleiro uma vez que se abra a primeira fase. La abertura está prevista para o segundo semestre de 2018.

Eduardo Corchero, porta-voz dos coletivos cidadãos, recordou que segue/continua sem fazer-se público o plano funcional e de transferência dos serviços «para que se possa opinar e o cidadão saiba a que vai-se a submeter». Corchero, que entre 1998 e 2001 foi diretor gerente do Infanta Cristina, reiterou sua rejeição a uma abertura por fases do novo centro.

Citou, a modo de exemplo, situações que se podem dar como a de um paciente que ingresse em Urgências no São Pedro de Alcántara com um dor abdominal e que no dia seguinte se tenha complicado e tenha que ser transferido ao novo hospital para uma operação de {apendicitis} quando a via de acesso entre os dois centros «não é que seja má, é que é {malísima}». Insistiu em que não é uma solução {acertada} levar numa primeira fase os serviços cirúrgicos ao novo hospital e deixar os serviços médicos no São Pedro de Alcántara.

O que se pretende, segundo explicou o porta-voz, é que «uma vez aberta a primeira fase, que a segunda não sofra mais demoras», motivo pelo qual se pede que tenha verba/partida orçamental nos orçamentos de 2018 e 2019.

La reunião com membros do governo local segue/continua à que mantiveram o passado dia 20 com o sindicato CCOO. Segundo os coletivos cidadãos, o Ordem dos Médicos também apoia a procura de verba/partida nas contas de 2018.