El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 19 de janeiro de 2018

A {Aoex} não descarta mobilizar-se na rua pelo novo acelerador

Sua petição/pedido é que esteja já em marcha no 2019 e não ter que esperar até ao 2020. «Pacientes e familiares estão dispostos», assinala a delegada morala

RAQUEL RODRÍGUEZ 12/01/2018

Los pacientes e familiares nos disseram que estão dispostos a sair às ruas e mobilizar-se porque se adiante a posta em marcha do novo acelerador do hospital de Plasencia e a associação, lhes apoiará». São palavras de Pilar Baños, delegada da Associação Oncológica Extremenha em Navalmoral de la Mata, que ontem acompanhou à delegação de Plasencia à entrega das firmas/assinaturas recolhidas por ambas delegações, mais as de Coria e Malpartida de Plasencia, com o mesmo objetivo.

Foi no mês de Agosto quando tomaram a iniciativa de pedir firmas/assinaturas nas quatro localidades e regiões da área de saúde que dependem do acelerador do Hospital Virgen del Puerto de Plasencia. Porque a Plasencia lhe corresponde um dos aceleradores {lineales} para o serviço de Radioterapia doados pela Fundação {Amancio} Ortega, mas, segundo explicou ontem a delegada de Plasencia da {Aoex}, Maribel Carpintero, a data que lhes deram para começar a instalação é meados de 2019, com o que não começaria a atender pacientes até ao 2020.

Seu objetivo é que estes prazos se adiantem, de forma que «esteja terminado totalmente de instalar no 2019 para que se atenda nesse ano já ao primeiro paciente».

É uma necessidade, afirmam, porque o acelerador atual funciona manhã e tarde e atende a numerosos pacientes diariamente, com o que sofre avarias que obrigam a paralisar os tratamentos.

Precisamente, disto se queixava também ontem a delegada de Navalmoral. «O que não pode ser é que os pacientes, depois de/após percorrer 80 ou 100 quilómetros, com familiares que têm que pedir o dia de trabalho ou horas para acompanhar-los, cheguem e lhes digam que o aparelho não funciona e que se têm que voltar para casa, com a angustia que isso supõe porque ao paciente não lhe podem dar a sessão que necessita».

Querem que essa situação termine o quanto antes, daí que reclamem que se agilize a posta em marcha do novo acelerador. Há tantas pessoas que o necessitam que conseguiram mais de 13.100 firmas/assinaturas, que foram as que entregaram ontem no prédio {múltiple} da Junta de Extremadura.

Carpintero apontou também que lhes beneficiaria que o que vai-se a instalar em Cáceres {adelantara} também os prazos porque assim não teriam que ir a Badajoz quando não possam utilizar/empregar o de Plasencia.

«O que nos fica é dar as graças a toda a gente que nos tem apoiado com sua firma/assinatura/assina», disse, ao passo que seguem/continuam esperando que lhes receba o conselheiro.