El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

{Renfe} advogará pela qualidade do comboio diante da impossibilidade de encurtar os tempos

Num mês se abrirá em Badajoz um posto treinador e o Talgo entrará em serviço a princípios de 2018. Seu presidente toma consciencializa do problema e pela primeira vez viaja a Mérida para reunir-se com a Junta

ROCÍO ENTONADO 13/09/2017

Tardar cinco horas em chegar a Mérida é muito tempo». O reconhece o próprio presidente de {Renfe}, Juan Alfaro, que para estar pontual na reunião que tinha prevista ontem de manhã na Conselheria de Ambiente e Rural, Políticas Agrárias e Território teve que pegar/apanhar o comboio na segunda-feira à tarde em Madrid. E parece que na operadora já vai-se tomando consciencializa do problema, pois é a primeira vez que seu máximo responsável viaja à comunidade extremenha para tratar de oferecer soluções ao défice estrutural do caminho de ferro.

Umas soluções que passam por melhorar a «segurança, fiabilidade e comodidade» dos serviços com alternativas como o Talgo a Madrid ou o oficina de reparação de comboios em Badajoz diante da impossibilidade de encurtar as seis horas de viagem atuais, pois a infraestrutura rodoviária não permite que os comboios, sejam do tipo que sejam, circulem a uma maior velocidade.

«Não vamos a chegar a Madrid em menos tempo e não vamos a mentir. Enquanto as infraestruturas estejam como estão {seguiremos} sem ter um comboio digno. Isso é a dívida histórica que há com esta região e nos toca seguir/continuar exigindo todos juntos», afirmou no fim do encontro a conselheira de Transportes, Begoña García, que sim agradeceu aos diretivos de {Renfe} que tenham cumprido sua palavra de vir à região para «ir dando soluções».

A reunião entre os responsáveis de {Renfe} e o Executivo regional (estava previsto que também assistisse {Adif}, mas avisaram ao telefone de que não iríam) vem a dar continuidade à cita/marcação/encontro que mantiveram no passado 28 de Julho em Madrid a minutas do Pacto pelo Caminho de ferro. Se produz después do «{cúmulo} de incidências» que registaram os comboios extremenhos nos últimos meses (exatamente 43 entre Junho e o que vai de setembro) e que geraram um clima de mal-estar social «perfeitamente compreensível» em relação à qualidade dos serviços ferroviários que se emprestam.

O reconheceu o mesmo presidente de {Renfe}, Juan Alfaro, que com seu visita quis deixar constância de «a aposta clara» do Ministério de Fomento por Extremadura. Assim, defendeu que o facto/feito de que os comboios tenham dado problemas «não significa que não estejamos utilizando um dos melhores materiais que temos» (têm uma antiguidade média/meia de entre 6 e 8 anos, segundo disse) e diante da impossibilidade de encurtar os tempos de viagem até que a região conte com a infraestrutura do TGV em 2020, explicou que {Renfe} apostará em a qualidade dos serviços.

TALGO EN 2018 / Assim, no primeiro trimestre de 2018 entrará em funcionamento um Talgo que ligará Badajoz e Madrid com uma conexão diária de ida e volta, um serviço que a região perdeu em 2010. O tempo de viagem «variará muito pouquinho» pelo estado das vias, mas sim se oferecerão prestações que contribuirão a fazer esse longo/comprido percurso/percorrido mais confortável: vídeo, áudio, cafetaria ou notas/bilhetes em classe preferente.

Além disso, ao tratar-se de um serviço comercial poderia incluir-se na política de «tarifas dinâmicas» que agora está aplicando {Renfe} e das que Extremadura não pode beneficiar porque seus comboios são uma obrigação de serviço público (geram um défice que assumem a Junta e o ministério). Notas/bilhetes com descontos de até ao 70%, a {posiblidad} de participar em campanhas promocionais ou a conexão com a rede de comboios suburbanos de Madrid seriam algumas das vantagens deste novo serviço comercial.

De igual forma, Alfaro explicou que se estão levando a cabo ações dentro de «uma política de manutenção {extraordiarna}»: se têm substituído o 60% dos motores, o 50% do cablado e se melhorou o {software} dalguns dos comboios que circulam pela região. Além disso, para realizar «revisões preventivas» e evitar na medida do possível incidências como as deste verão, no prazo de um mês se porá em marcha em Badajoz um posto treinador «com dois ou três pessoas para atender os comboios de maneira imediata».

Este posto funcionará até que, em meados de 2019, segundo as previsões de {Renfe}, abra as suas portas a nova base de manutenção que vai-se a dar início também em Badajoz. Este oficina será «uma prioridade absoluta», de forma que se construirá numa só fase e não em três como estava inicialmente previsto e poderia sair a licitação ao longo/comprido deste mês ou em Outubro.