Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 19 de agosto de 2019

{Vergeles} apresenta uma lei de prazos para dependência similar à do SES

Também quer que se reduza de um ano a três meses o tempo das avaliações. A região recebe cada ano umas 800 petições/pedidos para acolher-se a ajudas

REDACCIÓN region@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
13/08/2019

 

A Conselheria de Saúde e Serviços Sociais tem impulsionado uma série de medidas com as que pretende reduzir de um ano a três meses o tempo médio para valorizar os pedidos de dependência na região e se apresenta também elaborar uma lei de prazos similar à que existe no SES.

O vice-presidente segundo e conselheiro de Saúde e Serviços Sociais, José María Vergeles, compareceu ontem, junto ao novo gerente do {Sepad}, José Vicente Granado, para expor estas medidas e para apresentar também às novas gerências territoriais deste organismo, {Montserrat} Canto, em Badajoz; e Ana Martín García, em Cáceres.

Segundo os dados facilitados por Vergeles e adiantados no domingo por este diário/jornal, na Extremadura existiam, a data de 30 de Junho de 2019, um total de 55.109 pedidos/solicitações de dependência registadas, o que supõe uma percentagem em relação a sua população do 5,4%, quase dois pontos superior ao da média/meia espanhola, que é do 3,9%.

De facto, Extremadura, é a segunda comunidade, após Castela e Leão, que maior número de pedidos/solicitações de avaliação de dependência recebeu, com um aumento anual que ronda as 800, devido sobretudo ao envelhecimento da sua população.

Para o conselheiro, segundo informa EFE, o tempo médio de espera de em torno de um ano que regista Extremadura para valorizar a estas pessoas é «intolerável e não se pode permitir», pelo que o presidente da Junta, em seu programa de governo, comprometeu-se a reduzi-lo com medidas tendenciosas a melhorar a gestão e a coordenação dos serviços de atenção social básica e os especializados.

VISITA ÚNICA / Assim, se tem estabelecido uma modificação legislativa, recolhida no Decreto 68/2019, na qual se regula a visita única de avaliação, para agilizar os trâmites, e neste mês se têm contratado quatro auxiliares para fazer os estudos e poder/conseguir fazer a negociação do Plano Individualizado de Atenção ({PIA}) também com mais agilidade.

Igualmente, no passado mês de Março se contratou uma central de chamadas que permite a citação telefónica e liberta de tempo aos técnicos para trabalhos exclusivas de {valoracion}.

Vergeles insistiu em que se incidirá numa mais eficiente coordenação entre os serviços de atenção social básica e os serviços especializados, com o objetivo, sobretudo, de que a espera para ser valorizada uma pessoa em situação de fragilidade seja a menor possível.

Além disso, anunciou que a partir de finais de ano se implantarão protocolos específicos entre o SES e o {Sepad} para determinadas doenças que geram situações de dependência num prazo escasso de tempo, como as oncológicas ou as neurodegenerativas.

Embora só/sozinho é o princípio deste estratégia, as medidas impulsionadas pela Conselheria de Saúde nos últimos meses permitiram valorizar a 1.176 pessoas desde Março até agora.

Trata-se, segundo Vergeles, do «incremento mais importante em avaliações que se registou ao longo/comprido de toda a história do {Sepad}», após a incorporação inicial ao sistema que supôs a posta em marcha da Lei da Dependência.

Segundo estes dados, 47.833 pessoas foram reconhecidas na Extremadura pela Lei da Dependência desde a sua posta em marcha e o número atual de beneficiários se situa nos 28.447, dos quais uns 3.000 estão valorizados mas seguem/continuam pendentes ainda de receber/acolher a prestação ou o serviço que lhes corresponde.

As notícias mais...