Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 23 de septembro de 2018

Vara, disposto a paliar os efeitos laborais pelo corte de Religião

O presidente assegura que procurará possíveis soluções ao problema

REDACCIÓN CÁCERES
13/06/2018

 

Após semanas reclamando um encontro com o presidente da Junta de Extremadura, finalmente foi ontem à tarde quando Guillermo Fernández Vara reuniu-se em Mérida com vários {miemnros} da Associação de Docentes de Religião de Centro Públicos da Extremadura ({ADREX}).

No encontro, o presidente extremenho comprometeu-se a procurar possíveis soluções ao prejuízo laboral que sofrerão estes professores com o novo currículo de Religião, que diminui duas horas a carga/carrega horária desta cadeira na etapa de Ensino secundário e Ensino secundário em relação ao horário atual e também diminui os ordenados, já que estes profissionais recebem por horas.

O objetivo, segundo informou o coletivo docente, é tentar paliar os efeitos da redução de horas sem prejudicar aos professores doutras matérias e especialidades. Após este acordo/compromisso, os docentes de Religião agradeceram ao presidente extremenho «sua disposição e seu ouve», segundo informa Efe. O coletivo expôs a Fernández Vara a situação de precariedade laboral na qual encontram-se estes docentes, à qual, segundo {ADREX}, o presidente mostrou-se «sensível». Por isso, comprometeu-se à busca de possíveis soluções quanto ao prejuízo laboral.

O encontro de ontem se acordou numa das protestos que os docentes de Religião, conhecidos também como o movimento Maré Amarela, estão levando a cabo desde que se conhece o rascunho/esboço/minuta do currículo que reduz a carga/carrega da matéria nos institutos. Concretamente, foi no dia anterior, na segunda-feira passada, quando os docentes encontravam-se protestando às portas da Asamblea de Extremadura, onde Fernández Vara ia a um ato.

Nesse mesmo momento, o presidente se parou com estes professores e lhes comunicou que lhes receberia no seu gabinete de Presidência no dia seguinte, um encontro que se produziu ontem.

As notícias mais...