Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 19 de agosto de 2017

A Uex congela as taxas por quinto ano e alarga o pagamento fracionado a 10 prazos

Um curso em primeira matrícula subida entre 618 e 1.110 euros, em função da licenciatura. A iniciativa, que leva pendente desde o 2013, começará a aplicar-se neste ano

ROCÍO ENTONADO
19/06/2017

 

Cinco anos depois de/após solicitá-lo a Assembleia, ao fim as taxas de matrícula da Universidad de Extremadura (Uex) se poderão pagar em 10 prazos ao longo/comprido do curso. A medida se recolhe/expressa no decreto que fixa os preços das licenciaturas para o próximo ano, texto que a Conselheria de Educação publicou no portal de {transparecia} da Junta para recolher alegações antes de sua aprovação no Conselho de Governo. Como vem acontecendo desde 2013, as taxas se manterão congeladas nos «preços mínimos» que marca o Governo, de forma que a extremenha se mantém junto às da Galiza e Cantabria como uma das universidades mais acessíveis do país.

Segundo explica o diretor-geral de Formação Profissional e Universidade, Juan José Maldonado, o alargamento do pagamento fracionado das taxas de matrícula de 6 a 10 prazos se fará efetivo no próximo curso 2017/2018. Recorda que já desde o 2015 a Junta esteve a trabalhar na medida junto à própria Uex, o Conselho de Estudantes e o Instituto/liceu da Juventude, um trabalho que se tem prolongado no tempo porque «não foi simples».

«Temos tido que fazer muitos números para que a medida não cause nenhum tipo de {quebranto}, nem de tesouraria nem económico, à universidade», afirma.

Nesse sentido, Maldonado recorda que boa parte dos rendimentos da Uex (uns 12,5 milhões de euros) provêm destas taxas e que são muitos os estudantes que optam pelo pagamento fracionado: mais de 9.000 cada ano (o 38% do total), aos que temos de somar outros quase 8.000 que solicitam bolsa ao Ministerio de Educación e que portanto, estão isentos de pagar a matrícula até que se resolva o pedido.

MELHORAR O ACESSO / O diretor-geral sublinha que o objetivo da medida é «melhorar as condições de acesso dos jovens e suas famílias à {unversidad}». Recorda que qualquer estudante, tanto/golo de grau/curso universitário como de mestrado, pode acolher-se à medida.

À margem da alargamento do pagamento fracionado das taxas, o decreto também regula os preços das licenciaturas da Uex para o próximo curso académico, que se mantêm congelados por quinto ano consecutivo após o forte aumento experimentado em 2012 para segundas e sucessivas matrículas por diretrizes do Governo central. Desta forma, destaca Maldonado, a Uex se consolida como uma das universidades mais acessíveis de Espanha, «com um custo meio inferior aos 700 euros por curso, face aos mais de 1.000 de Catalunha», segundo dados do Observatório do Sistema Universitário.

De acordo aos dados recolhidos no decreto, o preço de cada crédito em primeira matrícula é de entre 18,51 e 10,31 euros, segundo o grau/curso universitário de {experimentalidad} da licenciatura (há cinco níveis e as sanitárias, cientistas e tecnológicas costumam ser mais caras); entre 37,02 e 20,62 euros em segunda matrícula; entre 80,21 e 44,67 em terceira matrícula, e entre 111,06 e 61,86 euros em quartas e sucessivas matrículas.

Tendo em conta que em primeiro é obrigatório inscrever-se num mínimo de 60 créditos, o primeiro curso completo de qualquer grau/curso universitário subida entre 618 e 1.110 euros. As corridas/cursos de quatro anos supõem um custo de entre 2.472 e 4.440 e as de seis anos como Medicina 6.660, sempre que não se repitam cadeiras.

As notícias mais...