Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 26 de septembro de 2017

A UEx arranca um novo curso e urge aplicar a lei de financiamento estável

{Píriz} diz que é decisiva para sair do última carruagem e Vara insiste no poder/conseguir transformador do campus. As classes começam na segunda-feira. Neste ano se estreia {Criminología} e se mantém o número de alunos

REDACCIÓN plasencia@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
07/09/2017

 

Arranca um novo ano académico na Universidad de Extremadura (UEx). A Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais, no campus de Badajoz, acolheu ontem o ato institucional de abertura do curso 2017-18, no qual o reitor, Segundo Píriz, reclamou que se ponha em prática a lei de financiamento estável da universidade, que foi aprovada na Assembleia por unanimidade no ano 2014. Durante sua intervenção, Píriz assinalou que «contar com meios económicos conhecidos, suficientes e adequados a nossas necessidades é um passo decisivo para sair do última carruagem em relação à financiamento das universidades públicas espanholas e situar-nos no faixa de rodagem da excelência», disse.

O reitor destacou que apesar de que o conjunto/clube das universidades registaram nos últimos anos uma descida de alunos, para o novo curso na UEx se mantém uma cifra similar ao ano anterior, com uns 4.100 estudantes de novo rendimento. Ainda assim, resenhou que sim tem descido sobre/em relação a um 10%, o número de potenciais estudantes, já que neste ano se apresentaram às provas de prova de acesso ao ensino superior uns 500 estudantes menos que o curso anterior. «A Universidad de Extremadura não é alheia a esta situação e nossa descida se situa na média/meia nacional. Não perdemos mais estudantes nem menos que a média do sistema universitário espanhol», apontou Segundo Píriz ontem.

Junto ao reitor, também presidiu o ato inaugural o presidente da Junta, Guillermo Fernández Vara, quem destacou que a universidade representa um instrumento ao serviço do país para transformar e mudar as coisas. O líder regional advogou por abordar o debate sobre/em relação a a universidade que a universidade quer ter, já que isso implica também analisar o país que se quer ter. «Estamos sendo mais competitivos pela via da produtividade, mas não pela via da competência», disse, e manifestou que na atualidade se lhe dá mais importância ao facto/feito de possuir um título e não tanto/golo às competências e habilidades com as que se conta.

Entre as novidades que arrancam com este novo curso universitário, destacam o novo grau/curso universitário de {Criminología} que se estreia neste ano na Faculdade de Direito –no campus de Cáceres– tanto como um título individual como um dobro grau/curso universitário com Direito. O reitor também destacou um incremento da qualidade da I+D que se desenvolve na universidade graças à criação dos novos institutos de investigação e à consolidação dos serviços de apoio.

Por último, o reitor extremenho e presidente também da Conferência de Reitores das Universidades de Espanha insistiu na necessidade de melhorar nos {ránkings} mundiais, que costumam ser «negativos» para as universidades espanholas. «Devemos pôr os meios para mudá-los», precisou. Apesar disso, assegurou que a universidade melhorou nos últimos 25 anos embora tem tido que superar grandes obstáculos como a {multiplicación} do número de estudantes, o rápido crescimento dos centros, a dotação de professorado ou as insuficiências financeiras. Não obstante, resenhou, o passado não pode servir de «desculpa» para afirmar que os campus do país necessitam mudanças para melhorar sua qualidade. Para isso, disse que é preciso uma regulação mais flexível e respeitosa com sua autonomia. «Necessitamos uma nova regulação, mais bem {desregulación}, em cujo quadro seja possível atrair o melhor talento e retribuirlo adequadamente para incentivá-lo e reterlo».

Para além das intervenções, durante o ato de ontem a secretária geral da UEx, María Isabel López, apresentou a memória do curso anterior, e o reitor {invistió} a 67 novos médicos. O catedrático de Didática das Ciências Experimentais na Faculdade de Educação, Vicente Mellado, foi o encarregado de pronunciar a lição inaugural do novo curso que arranca. As classes começam na próxima segunda-feira, embora ainda está aberto o período de registo automóvel para os estudantes da fase extraordinária.

As notícias mais...