+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O tribunal decreta a prisão provisória para o detido por matar a sua inquilina

Lhe imputa um suposto delito de homicídio e não lhe impõe fiança

 

Quinta onde se produziram os factos/feitos, na sexta-feira passada. - VÍCTOR PAVÓN

J. V. P. ZAFRA
04/02/2020

El Juzgado de Primera Instancia e {Instrucción} número 2 de Zafra decretó ayer prisión provisional comunicada y sin fianza para M. M. de 71 anos de idade, que na sexta-feira passada matou alegadamente a sua inquilina, M.S. de 59 anos e procedente de Madrid, com uma alavanca de ferro devido a um desencontro, ao que parece pelo aluguer. Uns factos/feitos que se produziram numa quinta no paragem {Huerta} Belén, a uns quatro quilómetros do centro da cidade de Zafra.

A juiz, após tomar declaração aos testemunhas e ao detido durante este fim-de-semana, lhe tem imputado a este último um suposto delito de homicídio doloso em grau/curso universitário consumado e tem tomado a medida cautelar de seu ingreso em prisão.

DUAS HORAS DE DECLARAÇÃO / Na amanhã de domingo, o suposto autor dos factos/feitos foi transferido num veículo da Guardia Civil dos calabouços da Policia Municipal aos Tribunais/réus/julgados de Zafra.

El detido esteve declarando diante da juiz durante algo mais de duas horas por estes factos/feitos nos que se tem descartado a violência de género ao não existir nenhuma relação sentimental com a vítima.

O tribunal mantém a investigação aberta para o total esclarecimento do acontecido, segundo informa num comunicado o Tribunal Superior de Justicia de Extremadura (TSJEx).