Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 19 de dezembro de 2018

¿Quando são concurso público do SES?

A saúde enfrenta neste ano dois processos seletivos: a oferta ordinária de 2017, já convocada, com 1.368 praças/vagas cujos exames começarão este verão, e outra extraordinária com 2.409 praças/vagas, das que umas 1.500 se convocarão neste ano H Para estas, se têm pactuado a nível nacional as datas de exames em 6 categorias e estas são as que o SES quer unificar

G. MORAL
10/01/2018

 

Milhares de da oposição estudando, {echando} horas face aos programas, nas academias, animados pelas centenas de praças/vagas que se anunciam um dia sim e outro também mas ainda com a incógnita: ¿Quando serão concurso público do Servicio Extremeño de Salud (SES)? Esta pergunta tem dois respostas porque no SES temos de falar de dois convocatórias de oposições/concurso público diferentes. Por um lado, há uma oferta de 1.368 praças/vagas que se publicou no DOE no passado 28 de setembro, que já conta com mais de 101.000 pedidos/solicitações (as listas de admitidos e excluídos se prevêem para Fevereiro) e cujos exames ainda não têm data de celebração, embora se prevêem para este verão pelo menos nalgumas especialidades de facultativo e na categoria/escalão de enfermaria.

Por outro lado, existe outra oferta de emprego extraordinária permitida pelo Governo central, que ainda não está convocada no DOE nem conta portanto com um prazo de inscrição e que está formada na Extremadura por 2.409 praças/vagas que têm que convocar-se nos próximos três anos. Destas, por enquanto está previsto que neste ano 2018 se convoquem algo mais da metade dessas praças/vagas, sobre/em relação a umas 1.500, juntamente com a oferta de emprego de 2018 (resultante da taxa de reposição). Para o total destas praças/vagas cuja convocatória poderia publicar-se no DOE neste ano já há umas datas de exame fixadas pelo ministério para todas as comunidades, embora só/sozinho corresponde por enquanto a seis categorias: matrona (2 de Fevereiro 2019), fisioterapeuta (17 de Fevereiro de 2019), {celador} (10 de Março de 2019), auxiliar administrativo (7 de Abril de 2019), auxiliar de enfermaria (28 de Abril de 2019) e enfermeiro (12 de Maio de 2019). Além disso, há outras categorias que também terão praças/vagas extraordinárias mas nas que não há consenso e se têm fixado dois datas de exame a escolher por cada autonomia: médico de família (25 de Novembro de 2018 ou 17 de Novembro de 2019), pediatra (11 de Novembro de 2018 ou 1 de Dezembro de 2019), pique (23 de setembro de 2018 ou 20 de Outubro de 2019), treinador de laboratório (21 de Outubro de 2018 ou 27 de Outubro de 2019) e treinador de radiodiagnóstico (21 de Outubro de 2018 ou 27 de Outubro de 2019). Algumas regiões já decidiram desmarcar-se destas datas, mas desde o SES asseguram que se adaptarão ao marcado a nível nacional.

Diferentes mas seguidos/continuados

Assim, com algumas datas de exame já ocasos e com uma convocatória na Extremadura, a ordinária, já em marcha, a realidade é que vão a produzir dois processos de oposições/concurso público sanitárias muito seguidos/continuados. Por isso desde o SES apresentam que em lugar de fazer dois exames diferentes para uma mesma categoria/escalão celebre-se um só/sozinho exame na data fixada a nível estatal. «Porque entre um exame e outro duma mesma categoria/escalão pode ter uma diferença de só/sozinho três meses», explica Felipe Bachiller de UGT.

Deste modo, ambas convocatórias de oposições/concurso público, ordinária e extraordinária, se unificariam num só/sozinho exame pelo menos nas categorias que já têm data de exame acordada –exceto em Enfermagem onde está previsto que tenha dois exames, um em 2018 e outro em 2019–. Mas para isso primeiro tem que convocar-se a oferta extraordinária (que ainda se está negociando no Ministério da Saúde) e depois abrir um novo prazo de inscrição para quem não se tenha inscrito até agora. Desde CSIF, {Emilia} Montero assinala que «em nenhum momento se tem negociado em mesa sectorial calendário das ofertas de emprego público tanto/golo extraordinária como ordinária» e advoga por não acumular as duas ofertas. «É melhor que tenha dois processos diferentes e dois oportunidades», acha {Damián} Cimeiras de {Satse}.

Enquanto, para tentar esclarecer as {incognitas} ainda pendentes, este próximo sexta-feira o SES se reunirá com os seis sindicatos sanitários na comissão de seguimento do pacto de processos seletivos, onde se quer avançar no calendário das oposições/concurso público já convocadas, definir se se unificam ou não as categorias já anunciadas da oferta extraordinária e se se aplica um tabela única ou diferente para os dois processos. Além disso, se abordará a sentença que obriga a {baremar} a experiência na saúde privada: se se recorre ou se inclui no tabela.

As notícias mais...