Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 5 de dezembro de 2019

povos/povoações a zero e com mais dívida


13/08/2019

 

SEM PENDENTES

J Um total de 205 municípios dos 388 que conformam a geografia extremenha não tinham a 31 de Dezembro de 2018 dívidas com os bancos. No último ano foram 12 os que se têm incluído esta lista: Azuaga, La Codosera, Fuente de Cantos, Puebla de Obando, {Aldehuela} de Jerte, Botija, Cadalso, Gargantilha, Malpartida de Cáceres, {Marchagaz}, Pinofranqueado e Valverde del Fresno.

MAIS DE UM MILHÃO

J Para além de as grandes cidades, o relatório/informe do Ministério de Finanças reflete que uma vintena de pequenos municípios têm dívidas superiores ao milhão de euros. Na província de Badajoz são La Albuera (1,9 milhões), Alburquerque (7,1), Arroyo de San Serván (1,4), Castuera (1,08), Hinojosa del Valle (3,12), Puebla de Alcocer (1,3 milhões), Quintana de la Serena (1,11 milhões), Santa {Amalia} (2,3 milhões), Torremejía (1,4), Villafranca de los Barros (1,2) e Zafra (3,4 milhões). Os povos/povoações cacerenhos com mais de um milhão de dívida são Cañaveral (1,26 milhões), Logrosán (1,2), Madroñera (4,7), Moraleja (2,6), Plasenzuela (1,42 milhões) e Talayuela (1,9 milhões).

AUMENTAM SUA DÍVIDA

J Embora a tendência geral é em baixa, há 17 municípios nos que a dívida com os bancos cresceu em 2018. São {Burguillos} do Cerro, Cabeza del Buey, Castuera, {Mengabril}, Puebla de Alcocer, Santa Marta, Valência do {Mombuey}, Alía, Brozas, Hoyos, Jarandilla de la Vera, Madroñera, Piornal, Santa {Marga} de {Magasca}, El Torno, {Valdastillas} e {Villamesías}. Chama a atenção que três destes municípios (Alía, Jarandilla de la Vera e El Torno) estavam a zero no exercício 2017.

As notícias mais...