Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

A potencia fotovoltaica instalada na região aumenta um 121% no 2019

Esta tecnologia passou de 564 megawatts conetados ao fecho de 2018 aos 1.247 do ano passado. As renováveis supõem já o 68% do parque mas é a nuclear a que dá mais produção (77%)

E. BARAJAS epextremadura@elperodicco.com CÁCERES
15/03/2020

 

Extremadura duplicou largamente seu ‘músculo’ fotovoltaico durante o 2019. Esta tecnologia solar incrementou um 121% seu potencia instalada na comunidade autónoma, que alcançou ao fecho de 2019 a cifra 1.247 megawatts (MW), face aos 564 que tinha ao fecho de 2018, segundo o ‘Avanço do relatório/informe sobre/em relação a o sistema elétrico 2019’, que acaba de oferecer Rede Elétrica de Espanha. Durante esses doze meses as energias renováveis experimentaram um crescimento do 19,4%, chegando a seu máximo histórico. Incluindo a hidráulica, representam mais de dois terços (o 68,6%) do parque gerador da Extremadura (4.449 MW de 6.484 MW).

Este auge experimentado pela tecnologia fotovoltaica a converteu na terceira em capacidade de geração da comunidade autónoma, por detrás da hidráulica e a nuclear. E para este 2020 não só/sozinho se manterá, mas provavelmente se dispare. Consoante os dados que deu a conhecer em finais de Janeiro a conselheira de Transição Ecológica e Sustentabilidade, Olga García, nesse momento tinha 154 instalações deste tipo na comunidade autónoma com viabilidade para conetar-se à rede elétrica e com uma potencia combina de 8.287 MW. Deste centenar e meio de plantas, 102 (com 6.157 MW) estavam em situação de tramitação administrativa.

Entre estes últimos, uma dezena de projetos (1.328,9 MW) bem estavam já finalizados no primeiro mês do ano, pendentes de provas para sua posta em serviço, ou bem encontravam-se em construção. Outros oito (312,71 MW) dispunham de autorização administrativa e estavam à espera de que seus promotores tomassem a decisão de levá-los a cabo ou não.

Não obstante, uma coisa é a potencia instalada e outra a geração elétrica e, neste segundo aspeto, a nuclear segue/continua supondo largamente a maior/velho parte da que tem sua origem na Extremadura. Entre Janeiro e Dezembro do ano passado os dois reatores da Central Nuclear de Almaraz deram 16.315 GWH, mais de três quartas partes do total da energia produzida na comunidade autónoma.

Lhe seguem/continuam a solar térmica, com 2.043 GWH gerados e um 9,7% de participação. Entre o 2009 e o 2013 puseram-se em serviço na comunidade autónoma 17 centrais terrenos termoelétricas —doze na província de Badajoz e 5 na de Cáceres—, alcançando uma potencia total instalada de 849 MW, que tem continuado sem variação até à data. A produção alcançada no 2019 supõe regressar praticamente aos níveis de 2017, quando marcou seu máximo até ao momento, com 2.056 GWH, para cair logo no ano seguinte um 20,5%, até 1.634 GWH.

Quanto à solar fotovoltaica, contribuiu com 1.191 GWH, um 5,7% do total. O alta da produção destas centrais, de em torno de um 17%, é muito mais modesta que o da capacidade instalada, ao ter-se ido conetando a rede estas centrais progressivamente no decurso do ano.

Em conjunto/clube, a evolução destas tecnologias renováveis tem suposto que no 2019 o 99,7 % da eletricidade se gerasse na região sem dictaminar/enviar CO2. «De facto, Extremadura é a comunidade com maior/velho participação de tecnologias limpas em sua produção de eletricidade», se salienta desde/a partir de Rede Elétrica de Espanha.

O 2019 foi, além disso, o ano no qual a energia eólica se estreou dentro do ‘mix’ energético regional, com os primeiros 39 MW instalados desta tecnologia no parque {Merengue}, de Plasencia. Em Fevereiro cumpriu seu primeiro ano funcionando a plenário/pleno rendimento. Durante este período de tempo, esta infraestrutura produziu mais de 100 {gigavatios} hora de energia.

DADOS NACIONAIS / Também no conjunto/clube do país o 2019 marcou um marco na evolução das renováveis, que por vez primeira vez somam a metade da capacidade total do país, que é de 110 {GW}. Na sua totalidade, o parque gerador espanhol avançou um 5,9% no passado ano. O ciclo combinado continua sendo o que açambarca uma maior/velho proporção dele, com um 23,8% do total, se bem seguidamente lhe seguem/continuam de perto dois fontes renováveis: a eólica (23,3%) e a hidráulica (15,5%).

O ano passado entraram em serviço 6.539 MW ‘verdes’, o que significa um aumento da capacidade de geração renovável do 13,4% em relação ao 2018 e levou o contingente renovável até os 55.195 MW ao fecho do exercício. Deles, o 47% era de procedência eólica, o 16% fotovoltaica e o 37 % doutras tecnologias ‘verdes’.

Este avanço fez possível que dos 260.713 GWH de eletricidade gerados em Espanha no 2019, o 37,5 % tenha sido produzido a partir de este tipo de fontes.

As notícias mais...