Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 17 de fevereiro de 2020

{Narbona} e Vara advogam por um novo modelo para fazer frente às alterações climáticas

Asseguram que os empresários têm «muito que dizer» como produtores

REDACCIÓN
06/11/2019

 

A vicepresidenta primeira do Senado em funções e exministra de Ambiente, Cristina Narbona, e o presidente da Junta de Extremadura, Guillermo Fernández Vara, advogaram ontem por um novo modelo baseado na transição ecológica que permita fazer frente às alterações climáticas, e no qual «o empresariado tem muito que dizer, como produtores de bens e serviços».

Narbona e Vara deram ontem na Escola Politécnica de Cáceres a conferência Agenda 2030: Os {ODS} e a transição ecológica. A exministra enfatizou o «acordo/compromisso» do Governo central com a Agenda 2030 da ONU, que é «o grande quadro de referência para nossas sociedades» e que implica «desafios sociais, tecnológicos, económicos, ambientais e institucionais, que é necessário abordar de maneira combina», informa EFE.

O presidente extremenho agradeceu a presença da vicepresidenta do Senado em funções para falar dos objetivos e objetivos/metas que conformam a Agenda 2030 que terão seu «ponto forte» o próximo mês de Dezembro quando celebre-se a Cimeira do Clima em Madrid, depois de/após que se {cancelara} sua celebração em Chile. Para Vara, a mudança de modelo produtivo é «um caminho que não tem regresso» e que requer «esforço, sacrifício e generosidade», conceitos/pontos «incompatíveis para quem tem uma determinada maneira de entender a {gobernanza} ou o papel que temos de desempenhar no mundo».

O chefe do Executivo regional lamentou que estejamos «esgotando» o planeta, cujos recursos são limitados, e advertiu das consequências ambientais, económicas e sociais das alterações climáticas que «já o estão a sofrer os mais débeis». Além disso, referiu-se à política protetora de determinados países ao afirmar que «a guerra fria do século XX foi substituída pela guerra dos tarifas» no século XXI, como «se o único problema que tivesse o mundo neste momento fora de equilíbrios comerciais».

As notícias mais...