Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 14 de novembro de 2018

A melhoria dos voos de Badajoz se atrasa até después do verão

Acaba de sair a licitação para as rotas de serviço público a Madrid e Barcelona. Ahora há um prazo de dois meses para que as empresas apresentem ofertas

REDACCIÓN region@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
13/06/2018

 

A previsão era que entrasse em vigor o próximo 1 de Julho, mas terá que esperar até después do verão para que a {OSP} (Obrigação de Serviço Público) se implante nas viagens a Madrid e Barcelona desde o aeroporto de Badajoz. O Diário/jornal Oficial da União Europeia acaba de publicitar a licitação para estas rotas, o que significa que, a partir de agora, as empresas interessadas têm dois meses de prazo para apresentar ofertas. Os posteriores trâmites (alegações, adjudicação...) evidenciam que a melhoria para os voos desde Badajoz se atrasará até depois da época estival.

«Mas embora exista esta demora, os voos vão a continuar mais além de 1 de Julho», quis esclarecer ontem a porta-voz da Junta, Isabel Gil Rosiña. {Air} {Nostrum}, a companhia que opera {actualemente}, tem {prorrogrado} o contrato publicitário com a Administração regional para poder/conseguir seguir/continuar até 2019 se se desse o caso.

¿Que significará a implantação desta {OSP}? Realmente a tarifa para os usuários não vai ser muito mais económica do que já existe atualmente (o preço máximo por trajeto de ida ou de volta será de 90 e 110 euros a Madrid e Barcelona, respetivamente). Mas sim se poderá ir e voltar à capital (e vice-versa) no mesmo dia, uma opção que atualmente não é possível. Além disso, a obrigação de serviço público supõe uma garantia para a continuidade do tráfego aéreo na Extremadura.

CRÍTICAS / Javier Peinado, o secretário-geral da Creex (Confederação Regional de Empresários), lamentou ontem o atraso na tramitação da {OSP}: «Significa um custo de oportunidade em relação à competitividade das empresas que desenvolvem sua atividade na comunidade e um lastre para o acesso dos cidadãos a esses serviços», sublinhou. E acrescentou: «Além disso, embora se tem avançado com esta declaração, não é suficiente já que o Estado deveria fazer uma contribuição económica».

O certo é que com a implantação destas rotas de serviço público a Junta de Extremadura seguirá/continuará subsidiando os voos, mas poderá fazê-lo diretamente e não com a fórmula do contrato de publicidade, como se fazia até agora.

Atualmente existem em Espanha 18 trajetos aéreos {OSP}. A maioria são conexões internas entre as ilhas (treze entre as Canárias e três entre as Baleares); embora também funciona uma entre Madrid e Menorca e outra de Almería a {Sevilla}.

As notícias mais...