+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A Junta convocará concurso público «bastante antes» do ano 2022

É o prazo limite para tirar a {OPE} de 2019, mas não o esgotará

 

AGENCIAS
04/02/2020

A Junta tem de prazo até Dezembro de 2022 para convocar os processos seletivos da ofertas de emprego público de 2019, embora fá-lo-á «antes de este prazo e bastante antes». Assim o afirmou ontem a diretora-geral de Função Pública, Carmen Vicente, na Comissão de Administração Pública da Assembleia para responder a uma pergunta do deputado do Partido Popular Juan Luis Rodríguez Campos sobre os prazos que se fixa a Administração para o desenvolvimento destas provas.

O parlamentar lhe exigiu uma precisão temporal depois de que estas ofertas de emprego –de Administração Geral, pessoal docente não universitário e pessoal estatutário– fossem aprovadas no passado 27 de Dezembro pelo Conselho de Governo e publicadas no DOE três dias depois. Lhe pediu também explicações após recordar que, em setembro de 2015, a conselheira de Finanças e Administração Pública, Pilar Blanco-Morales, comprometeu-se a publicitar um calendário de concurso público para os próximos cinco anos, que derivou numa «proposta» que o que também se incluíam as de 2019.

A diretora-geral assinalou que, segundo estabelece a jurisprudência e o Ministério de Finanças, há prazo para convocar estes processos até ao 30 de Dezembro de 2022, mas «temos previsto convocar antes de estes prazos e bastante antes». «Se agilizar os trâmites é esperar até 2022 temos um sentido muito estranho do que significa agilizar», lhe respondeu Rodríguez Campos, ao que a diretora-geral lhe apontou que «o calendário se tem que fixar nas convocatórias, não nas ofertas» e que deve negociar-se previamente com os sindicatos. Vicente precisou além disso que a resolução do concurso de transferido convocado em 2019 sairá em breve e que se estão culminando as provas das ofertas de até 2017, pelo que ficam pendentes de convocar as de 2018 e 2019, para além da oferta adicional para a estabilização do emprego temporal.