+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A gripe supera o limiar epidemiológico e deixa um novo falecido na região

Têm morto 3 pessoas e há 135 casos por cada 100.000 habitantes

 

REDACCIÓN
24/01/2020

A taxa de incidência da gripe na Extremadura superou na semana passada pela primeira vez nesta época o limiar epidemiológico, estabelecido em 96 casos por cada 100.000 habitantes, ao alcançar os 135 casos por cada 100.000 habitantes, enquanto no conjunto/clube de Espanha a taxa é de 203 casos.

Segundo os dados do Sistema Sentinela de Vigilância da Gripe na região, três pessoas faleceram com a infeção confirmada de gripe durante esta época na Extremadura.

Os hospitais extremenhos notificaram na passada semana 14 novos casos graves ingressados com gripe, que somados aos 15 registados até à semana anterior elevam a 29 o número de pacientes graves que foram hospitalizados com esta doença infeciosa desde/a partir de o início da época de vigilância do vírus. Segundo o relatório/informe semanal da Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica, em todo o território espanhol se superou o limiar epidemiológico, com uma intensidade alta ou média/meia na maioria das regiões do norte e baixa na Extremadura e o resto das comunidades.

24 dos 29 pacientes que foram hospitalizados na Extremadura tinham um ou vários fatores de risco associados à gripe, enquanto cinco não tinham fatores de risco acrescentado, segundo detalha a Junta numa nota de imprensa. Os fatores de risco mais frequentes estão sendo, por este ordem/disposição, doença pulmonar crónica (11 casos), doença cardíaca (7), diabetes (3), doença renal crónica, imunodeficiência e obesidade (2 casos cada um deles) e doença hepática (1 caso), segundo informa Efe.

Dos 24 casos graves com fatores de risco, {tsolo} se tinham vacinado três (12,5%), enquanto pelo menos 16 pacientes (66,7%) não se tinham vacinado contra o vírus da gripe e noutros cinco casos não consta que o tivessem facto/feito (21%). Se registaram casos graves hospitalizados em todos os troços de idade, cinco deles nos grupos de mais de 80 anos e de 60 a 69 anos, quatro casos nos grupos de 70 a 79 e zero a 4 anos, três no de 40 a 49 anos e dois em cada um dos restantes grupos (10 a 19, 20 a 29, 30 a 39 e 50 a 59 anos).

A proporção de casos graves hospitalizados continua sendo mais baixa na Extremadura que no conjunto/clube de Espanha, dado que os 29 casos registados em nossa região equivalem a uma taxa de 2,7 casos ingressados por cada 100.000 habitantes, enquanto no conjunto/clube de Espanha se estima que têm requerido hospitalização 3,9 pacientes graves por cada 100.000 habitantes, o que equivaleria a uma cifra de 1.833 pessoas ingressadas com esta doença.