Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 11 de dezembro de 2018

Os funcionários da Junta poderão solicitar o teletrabalho desde este ano

Os beneficiários deverão ir dois dias em semana à escritório e dispor de computador com internet. Cada exercício sairá uma convocatória de praças/vagas, mas para grávidas e maltratadas estará sempre aberta

ROCÍO ENTONADO
11/01/2018

 

Extremadura se aponta ao teletrabalho. O Conselho de Governo da Junta aprovou ontem um novo decreto que autorizará aos empregados públicos a desempenhar suas tarefas laborais desde casa mantendo suas retribuições, sempre que a natureza do posto o permita e que o trabalhador disponha dos meios adequados, entre outros um computador com conexão a internet. O objetivo, segundo explicou a porta-voz da Junta, Isabel Gil Rosiña, é oferecer aos trabalhadores públicos «uma possibilidade de conciliar a vida laboral e familiar», o que por sua vez redundará em a melhoria da produtividade e uma poupança de custos para a Administração, para além de servir como «um exemplo» para o sector privado.

Esta fórmula se põe em marcha uma vez avaliados os resultados de um programa piloto que se desenvolveu em 2013 baixo/sob/debaixo de o Governo do PP e cujos dados têm resultado «positivos», de acordo ao análise da comissão de avaliação que se criou para tal fim. Gil Rosiña detalhou que foram 44 os pedidos recebidas para participar neste programa, se bem finalmente se acolheram 21 e deles o 57% foram mulheres.

Agora, cinco anos depois, o Executivo extremenho aprova o decreto que regulará o teletrabalho com a intenção de dar «um passo importante» na melhoria da conciliação e também como uma medida mais na flexibilização das jornadas em tanto/golo se recuperam as 35 horas semanais. Além disso, com este novo regulamento, a região segue/continua as diretrizes que a União Europeia marcou já no ano 2002 e os passos que outras comunidades deram no mesmo sentido.

Segundo explicou Gil Rosiña, cada ano a Junta tirará uma convocatória anual com o total de praças/vagas disponíveis para que os interessados possam aceder a este sistema, se bem as mulheres grávidas e as vítimas de violência de género poderão solicitá-lo a qualquer momento. A previsão é que a primeira convocatória, a deste ano, saia de forma iminente, embora Gil Rosiña não concretizou ontem nem a data nem as praças/vagas que se ofereceriam.

A estas convocatórias poderá acolher-se tudo o pessoal funcionário e laboral da Junta, incluídos seus organismos e entes públicos dependentes, sempre que ocupem um posto suscetível de ser desempenhado mediante esta modalidade. Portanto, estão excluídos aqueles que realizem tarefas em escritórios de registo, atenção e informação ao público. Também não poderão optar aqueles que tenham autorizada a compatibilidade com outro posto de trabalho ou atividade, os que realizem funções de direção, o pessoal eventual nem o de livre designação, entre outros.

O teletrabalho será de carácter voluntário e reversível a qualquer momento, embora a autorização se dá em princípio para um ano completo, podendo optar os beneficiários a dois convocatórias consecutivas.

TRÊS DIAS / Só/sozinho se poderá realizar o trabalho desde casa durante três dias à semana (os outros dois, os funcionários deverão ir à escritório). Os beneficiários deverão também dispor de um espaço de trabalho adequado, contar com um computador com conexão a internet «suficiente e segura» e ter sempre disponível um telefone. Por seu lado, a Administração facilitará um correio electrónico, as aplicações informáticas necessárias e um secretária remota que reproduza as condições de trabalho do posto físico de destino.

Só/sozinho no caso de que num mesmo serviço tenha mais solicitantes que postos suscetíveis de desempenhar-se de forma não presencial, a Junta aplicará um tabela para valorizar os pedidos no qual se terão em conta o número de filhos e sua idade, que algum membro da família ou o próprio solicitante tenham deficiência ou a distância entre o domicílio e a localização do centro de trabalho.

Para avaliar os resultados do teletrabalho e a viabilidade do sistema, se criará uma comissão técnica de seguimento.

As notícias mais...