Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 23 de novembro de 2017

«Europa é parte de meu casa, nossas raízes»

GUADALUPE SÁBIO&{lt};b&{gt}; &{lt};/b&{gt};Cientista e investigadora

REDACCIÓN MÉRIDA
10/09/2017

 

Guadalupe Sábio (Badajoz) terminou a corrida/curso de veterinária em Cáceres com Prémio Extraordinário e conseguiu em 2005 o Doutoramento Europeu do {Medical} {Reserch} {Council}. A partir de aí tem tido muitos prémios e reconhecimentos. Está considerada como uma das melhores cientistas de Espanha. Aos 40 anos, seus colegas de profissão já a consideram uma das melhores investigadoras de Espanha. Tem forjado seu prestígio competindo num «sistema muito masculino» ao passo que criava a três filhos.

Após licenciar-se em Veterinária com prémio extraordinário, Sábio trabalhou no Instituto/liceu Médico {Howard} {Hughes} da Universidade de {Massachusetts} por sua investigação sobre/em relação a as proteínas {quinasas} do stress. Recebeu dezenas de prémios; entre eles, o Impulsiona da Fundação Príncipe de {Girona} e o Prémio Jovem Investigador da Sociedade Espanhola de Bioquímica e Biologia Molecular ({SEBBM}). Foi reconhecida pela Fundação L’{Oréal}-Unesco por seu estudo sobre/em relação a a obesidade e sua relação com o cancro {hepático} e a diabetes, e recebeu o prémio Estrella de la Comunidad de Madrid por o seu trabalho em favor dos direitos da mulher.

-¿Que quer dizer Europa para si?

-Para mim Europa é parte de meu casa, são nossas raízes, com sua diversidade que é o que a faz grande. Europa é sinónimo de liberdade, democracia, educação e a berço da nossa civilização e da ciência.

-¿Que gosta de de Europa e em que deveria melhorar?

-Gosto sua capacidade de reconstruir-se diante da adversidade, deixando ao lado as diferenças entre nós e procurando o que nos une. Teria que {recordar} a nossos políticos como se criou Europa esquecendo os {regionalismos} e nacionalismos e remando juntos. Acreditando que a ciência e o conhecimento traria a liberdade e a prosperidade. E tudo isso com a base da solidariedade entre povos/povoações e a igualdade.

-¿Que acredita que dá a pertenença a Europa?

-Nos dá muitíssimo. Em meu campo, que é a ciência, obriga ao governo a investir em investigação para criar uns projetos muito competitivos nos que {compites} com todos os científicos/cientistas europeus. Nos abre as portas de outros países, incentiva nossas colaborações conseguindo que o que fazemos seja muito mais importante. A soma sempre é boa.

-Conte uma experiência pessoal sobre/em relação a sua pertenença a Europa.

-O facto/feito de ser cientista faz com que {tengas} que viajar muito, tanto/golo dentro e fora de Europa. É agradável poder/conseguir estar noutros países europeus e sentir-se como em casa porque temos um projeto comum, porque nos une uma cultura e uns idealizadores. Por outro lado sendo beneficiária de um projeto Europeu para jovens investigadores, para mim significou poder/conseguir instalar-me em Espanha após nove anos fora e ser capaz de estabelecer meu grupo de investigação no Centro Nacional de Investigadores Cardíacos.

As notícias mais...