Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 18 de agosto de 2019

Os {drones} ‘patrulham’ Extremadura

Uma empresa extremenha propõe às câmaras municipais da região o uso destes aparelhos para facilitar à Policia Municipal trabalhos de prevenção de incêndios, salvamento, controlo de vertidos ilegais ou busca de pessoas desaparecidas

ALICIA GARCÍA HERNÁNDEZ
22/07/2019

 

Não é um novo capítulo de {Black} {Mirror}, trata-se de um projeto que já se está levando a cabo noutras cidades de Espanha e que consiste na posta a disposição da Polícia Local de {drones} para realizar controlos de incêndios, vigilância de espaços públicos ou mesmo a monitorização de eventos culturais, como já se tem realizado a de O Rocío em {Sanlúcar} de {Barrameda}, em Cádiz.

A aprovação do Real Decreto que regula as aeronaves pilotadas por controlo remotos em Dezembro de 2017 tem favorecido a introdução destes aparelhos como uma ferramenta para garantir a segurança. A nova legislação permite sobrevoar cidades ou fazer voos noturnos. Também se pode pilotar um espaço aéreo controlado sempre que se tenham os estudos de segurança e documentos pertinentes. A existência do aeroporto de Badajoz ou os {aerodromos} de Mérida, Guadalupe ou Cáceres supunha uma dificuldade acrescentada antes da reforma legislativa.

A cidade de Plasencia é pioneira em seu uso na Extremadura. O {dron} tem tido um importante efeito dissuasivo contra os incêndios provocados, com uma redução do 80%. Algumas câmaras municipais extremenhos que também estão interessados na implantação dos {drones} são Coria, Moraleja, Don Benito, Badajoz, Olivença ou Mérida, segundo {Jerónimo} García, proprietário da empresa que levou a cabo a proposta, {Aereodron}, e presidente fundador da Federação Espanhola de Associações de {Rpas} (veículo aéreo não tripulado, das siglas em inglês).

A empresa está {afincada} em Badajoz e, embora estão realizando a proposta a câmaras municipais de toda Espanha como {Benicàssim} ou {Oropesa} do Mar, querem concentrar-se na Extremadura. Se têm posto em contacto com todos os municípios com mais de quatro mil habitantes «pela simples razão de que dispõem de policia municipal e de orçamento», explica {Jerónimo} García.

{Aereodron} lhes dá dois opções: habilitar-lhes profissionalmente para o uso de {drones} ou contratar a uma empresa como a sua, para realizar um serviço pontual. O orçamento enviado às câmaras municipais centra-se na primeira opção.

Assim, desde a empresa, lhes oferecem a possibilidade de «que um município tenha xis pessoas preparadas para que num dado momento possam utilizar/empregar os {drones} em situações de emergência, como para procurar um menino perdido, ou como ferramenta para encontrar vertidos ilegais ou uma plantação de marijuana», explica o proprietário da companhia.

Temos de destacar que a polícia, à diferênça de qualquer outro operador, não tem a obrigação de comunicar nem receber/acolher a autorização expressa do Ministerio del Interior para ser feito operações sobre/em relação a lugares habitados, reuniões de pessoas ao ar livre e voos noturnos. Embora sim deverão contar com uma autorização para sobrevoar todas aquelas instalações que afetam à segurança nacional bem como centrais nucleares.

{Jerónimo} García expõe que não lhe preocupa a possibilidade de poder/conseguir estar brindando ferramentas que possam limitar o direito à intimidade dos cidadãos porque «o que vai a utilizar/empregar um {dron} é um profissional, neste caso um policia municipal, e o está utilizando com um fim bom, de segurança». Afirma que também pode realizar-se um mau uso das imagens em Internet através dos telemóveis. Acrescenta que eles, «como qualquer outro», estão sujeitos à Lei de Proteção de Dados e que usam as imagens segundo a lei o permita.

O orçamento que {Aereodron} oferece tem um custo de 7.500€, somente durante o mês de Julho, pois seu valor real é de 10.000€. Inclui dois cursos de piloto avançado de {dron} profissional, coletes reflectores e base de descole, documentação acreditadora tanto/golo para os operadores do aparelho como para o uso por parte das câmaras municipais, aconselhamiento e {manteniemiento} das aeronaves com um ano de duração bem como um seguro e um {dron} resistente ao água, de qualidade média/meia.

{Jerónimo} García explica que também se podem obter outro tipo de {drones}, equipados com câmaras zoom, para fotografar matrículas; térmicas ou infravermelhos. Mas aconselha que «se adquiram modelos mais caros conforme aumente a experiência dos pilotos». Acrescenta que o orçamento é um «exemplo acessível para câmaras municipais pequenos».

As notícias mais...