Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 17 de fevereiro de 2020

Autorizam os serviços de mediação familiar em Badajoz, Cáceres e Plasencia

Os contratadores deverão proporcionar agora as instalações

REDACCIÓN CÁCERES
06/11/2019

 

O Conselho de Governo da Junta de Extremadura autorizou ontem a contratação do Serviço de Mediação Familiar nas localidades de Badajoz, Cáceres e Plasencia, por um montante de 385.017,60 euros e um prazo de execução de dois anos. A mediação tem adquirido um especial protagonismo como fórmula contrastada para canalizar de forma ótima os conflitos familiares e, em especial, os de casal, pois permite um acordo benéfico para as partes mediante a intervenção de um profissional, sem poder de decisão, que ajude a que estas alcancem por sim mesmas um acordo com as características de voluntariedade, neutralidade, imparcialidade e confidencialidade. O serviço oferece a possibilidade de estabelecer um procedimento extrajudicial no qual um terceiro, devidamente acreditado como mediador familiar, informa e orienta aos familiares imersos num conflito pontual com o fim de facilitar vias de diálogo e a busca de acordos justos, duradouros e estáveis, segundo a resenha dos acordos facilitada ontem pela Junta.

O serviço  tinha vindo emprestando-se até agora por adjudicatários externos, mas em espaços cedidos pela administração, mas agora, como novidade, os contratadores devem proporcionar as instalações.

Por outro lado, ontem também se aprovou o encomenda a Gpex do serviço de manutenção do arquivo de processos derivados da Lei de Dependência nos Serviços Centrais do Sepad, por 205.950 euros. Este arquivista está destinado à gestão das pedidos/solicitações e pagamentos das prestações económicas associadas a essa lei.

TRIBUTOS / Também, se tem autorizado a assinatura de um convénio com a Agencia Estatal de Administración Tributaria em matéria de fornecimento de informação para finalidades não tributárias. A Junta de Extremadura participará além disso, em qualidade de fundadora, na constituição da entidade privada Fundação Museu Extremenho da Ciência e a Tecnologia. Para além do aprovação a sua participação, se têm aprovado os estatutos pelos que se regerá a fundação e a quantidade/quantia de 4.000 euros como contribuição de dinheiro da Administração regional à dotação fundadora.

As notícias mais...