Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 21 de septembro de 2018

Ajudas de 5.000 a 9.000 euros para novos autónomos/trabalhadores independentes ou a contratação de um familiar

O subsídio dependerá de diversos critérios e a Junta calcula que terá 3.700 beneficiários. O Executivo regional destina 3,7 milhões de euros para incentivar o regresso do «talento» em I+D+i

P. C. region@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
13/06/2018

 

Aqueles que estejam a pensar em constituir-se como trabalhadores independentes ou aqueles que já o sejam mas necessitem contratar pessoal, devem saber que poderão contar neste ano com ajudas de entre 5.000 e 9.000 euros. O Conselho de Governo da Junta autorizou ontem a convocatória de subsídios dirigidos ao fomento e consolidação do trabalho autónomo/trabalhador independente na Extremadura, que contarão com uma dotação económica de 28,5 milhões de euros. Trata-se, por um lado, de que pessoas desempregadas possam fazer-se trabalhadores por conta própria e, por outro, que os já autónomos/trabalhadores independentes possam contratar a um familiar como colaborador. As ajudas oscilam entre os 5.000 e os 9.000 euros, dependendo de critérios como a idade, se trata-se de mulheres, ou se o negócio está em municípios de menos de 5.000 habitantes.

Aqueles que se constituam como autónomos/trabalhadores independentes devem inscrever-se no Regime Especial de Trabalhadores Independentes (DESAFIA); se bem, no caso de pessoas desempregadas menores de 30 anos, deverão, além disso, estar inscritas e ser beneficiárias do Sistema Nacional de Garantia Juvenil desde, pelo menos, um dia antes da data de sua alta em DESAFIA.

Quanto à quantia das ajudas, se trata-se de mulheres autónomas chegarão aos 8.000 euros; 7.500 euros se são desempregados com deficiência; jovens menores de 30 anos; desempregados/parados de 52 ou mais anos; se a atividade se exerce em municípios de menos de 5.000 habitantes; ou desempregados emigrantes extremenhos , que tenham participado em algum dos programas subsidiados e financiados pelo SEXPE ou que sejam desempregados/parados de longa duração. E serão de 5.000 euros para trabalhadores desempregados que não estejam enquadrados em nenhum os afastados anteriores.

Também, o montante das subsídios se incrementará na quantidade/quantia de 1.000 euros quando se solicitem para atividades relacionadas com as novas tecnologias, energias renováveis, ambiente, atenção à dependência, indústria agroalimentar, reformas e reabilitação de edificações, turismo e pequeno comércio.

Em matéria de emprego, o Governo extremenho também autorizou a convocatória de subsídios dirigidos aos centros ou entidades de formação que tenham realizado ações formativas dirigidas a pessoas trabalhadoras desempregadas para a obtenção de certificados de profissionalismo, dotada com um orçamento de 595.620 euros.

Por outro lado, a Junta aprovou um decreto pelo que se regulam as ajudas destinadas à atração e regresso do talento investigador a centros que pertencem ao Sistema Extremenho de Ciência, Tecnologia e Inovação ({SECTI}). A porta-voz do Executivo regional, Isabel Gil Rosiña, explicou ontem que há uma verba/partida de 3,7 milhões de euros para desenvolver este decreto, do qual poderão ser beneficiários os centros públicos e privados de I+D da Extremadura e as fundações públicas que atuem como gestoras desta atividade dos centros inscritos à Junta que realizem atividades de I+D+i. As ajudas estarão destinadas à {formalización} de um contrato de acesso ao Sistema Extremenho de Ciência, Tecnologia e Inovação de acordo com a legislação vigente entre o centro beneficiário e o investigador selecionado, com uma duração máxima de 4 anos a contar desde a data da firma/assinatura/assina do contrato.

Trata-se, insistiu, de «recuperar o talento mediante o empreendimento e a investigação daqueles jovens que se têm ido da Extremadura». Por isso, também deu a aprovação à convocatória de ajudas destinadas a favorecer o regresso de extremenhos no exterior mediante o desenvolvimento de um projeto empresarial, com ajudas de 5.600 euros para aqueles que apresentem um projeto e ponham em marcha uma empresa em oito meses. Para isso se destinam 285.000 euros.

OUTROS ACORDOS // À margem de estes assuntos, o Governo extremenho autorizou à Conselheria de Ambiente e Rural, Políticas Agrárias e Território o encomenda das trabalhos de apoio aos controlos de ajudas associadas à ganadaria durante o 2018 à empresa pública Tecnologias e Serviços Agrários ({Tragsatec}), por um montante de 189.993 euros.

Além disso, avalizou a assinatura de um convénio com UGT Extremadura pelo que se concede um subsídio {pr} montante de 150.000 euros para a promoção e fomento da prevenção de riscos laborais no ano 2018; e aprovou a declaração da Peña Buraca, de Alcántara (Cáceres) como Bem de Interesse/juro Cultural. ao considerá-lo como o elemento mais reconhecido de um conjunto/clube arqueológico no qual abundam {lagares} escavados na rocha, numerosas campas talhadas em pedra, altares, restos cerâmicos e outras estruturas.

As notícias mais...