Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

19 horas: «Não fica mais remédio»


11/03/2020

 

A conselheira de Educação e Emprego, Esther Gutiérrez, disse ontem que «entende» o mal-estar dos docentes pelo aumento da jornada letiva em Ensino secundário, que a partir do próximo curso passará de 18 a 19 horas para compensar a subida salarial de 2%. Foi uma decisão «difícil», mas «não fica mais remédio», assegurou.

A conselheira explicou que o acordo alcançado em 2018 para a redução da jornada letiva estava subordinado ao cumprimento dos objetivos de estabilidade {presupuesaria} e por este motivo, a Junta tinha que compensar «dalguma maneira» a subida salarial de 2% que se aplicará em Maio com carácter retroativo desde/a partir de o 1 de Janeiro para todos os empregados públicos da Junta. No caso da Administração Geral e a Saúde, se congelará o complemento da carreira profissional para mitigar a subida.

Gutiérrez quis destacar que para os docentes «não se volta à situação de 2012», quando se implantaram as 20 horas que ainda mantêm outras autonomias. Em é sentido explicou que durante este trimestre se realizará uma planificação para que os professores realizem uma hora mais a partir de setembro, embora «nunca vai-se a subir às 20 horas». «Eu entendo o mal-estar porque uma vez que está implantada uma medida e que é um conquista conseguida e desejado por todos, agora nos {volvemos} a ficar outra vez a metade de caminho», reconheceu.

A volta às 18 horas letivas o passado curso supôs a contratação duns 230 professores adicionais e perante esta nova situação, Gutiérrez reconheceu ontem que a contratação de mais pessoal «se paralisaria» face ao curso que vem.

Cabe {recordar} que a decisão da Junta de pagar a subida salarial de 2% a seus empregados públicos em troca de outros ajustes caiu na passada semana como um balde de água fria para os sindicatos, que empreenderão mobilizações sem descartar mesmo uma greve. CSIF, UGT e CCOO já têm anunciado que terá {paros} parciais todas as quartas-feiras (coincidindo com o Conselho de Governo) a partir do dia 18 de Março.

As notícias mais...