Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 20 de maio de 2018

Um juiz ordena executar uma sentença contra 2 expresidentes da câmara municipal

Têm condenações de prisão e multas económicas por prevaricação

N. AGUT prov-caceres@extremadura.elperiodico.com JARAÍZ DE LA VERA
13/02/2018

 

O Tribunal do Penal número 1 de Plasencia tem ditado um auto no qual ordena executar uma sentença prévia na qual se condena a sete anos e meio de inabilitação a dois expresidentes da câmara municipal de Jaraíz de la Vera -José Agustín Tovar (PP) e José Bonifacio Sánchez (PSOE)-, por um delito de prevaricação, em sua modalidade de comissão por omissão, em alusão à adoção de medidas para atender as denúncias formuladas por uma vizinha por ruídos num bar. A sentença, segundo recolhe/expressa Europa Press, foi ditada por este mesmo tribunal/réu/julgado em Junho de 2017 e em esta, além disso, ambos expresidentes da câmara municipal foram condenados, junto a outras três pessoas que dirigiram o bar, a indemnizar de maneira combina com 30.000 euros à vizinha afetada. E aos dois expresidentes da câmara municipal também se lhes impôs uma multa de 12 meses com uma quota diária de 10 euros.

Além disso, nesta sentença, as três pessoas que têm dirigido este bar, até seu fecho em 2014, e que respondem às iniciais M.J.Ou, A.H e I.C, se lhes condena como autores {criminalmente} responsáveis de um delito de poluição acústica, em relação de concurso idealizador com um delito de lesões. Deste modo, a cada uma destas três pessoas se lhes impõe pelo delito de poluição acústica as penas de um ano e seis meses de prisão, mais outros seis meses de prisão por um delito de lesões, para além de 12 meses de multa com quota diária de 10 euros, e a inabilitação especial para profissão ou ofício relacionado com a atividade comercial de café, bar ou similares.

Os acusados recorreram a sentença diante da Audiencia Provincial de Cáceres, que no passado mês de Outubro diminuiu as penas de prisão impostas aos três proprietários do bar, mas manteve as penas aos dois expresidentes da câmara municipal.

Agora, o Tribunal/réu/julgado de Plasencia, num auto notificado o 23 de Janeiro de 2018, ordena cumprir a sentença, que no caso dos expresidentes da câmara municipal supõe uma pena de inabilitação para emprego ou cargo público representativo ou eleito tanto/golo local como supranacional. Para além da multa à que foram condenados, de 12 meses com quota diária de dez euros, o que supõe um montante total de 3.600 euros, bem como 6.000 euros pela responsabilidade civil.

As notícias mais...