Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 14 de novembro de 2018

Um escritor {zamorano} consegue o prémio de romance azinhal de prata

‘O caso da culpa em conserva’ narra uma desaparição {ambientada} nos 60

NIEVES AGUT prov-caceres@extremadura.elperiodico.com NAVALMORAL DE LA MATA
13/06/2018

 

A obra que leva por título O caso da culpa em conserva, de Javier Pérez Fernández, escritor de Zamora, foi a vencedora da XII edição do Prémio de Romance Curto Azinheira de Prata, que organiza a Câmara Municipal de Navalmoral. O vencedor recebe 6.000 euros, a azinheira de prata e a publicação da obra premiada, que neste caso narra a história duma desaparição {ambientada} nos anos 60.

Ao certame se apresentaram escritores de vários países e o júri, que presidiu o académico Luis Mateo Díez, revelou o erro durante o decurso duma gala literária na sexta-feira passada no Teatro do Mercado. Um ato ao que assistiu a presidenta da Câmara Municipal {Raquel} Medina, e que pôs fim à programação de atividades culturais celebradas por ocasião da feira do livro 2018.

Relativamente às obras que ficaram finalistas são: A sombra do tigre, {Bonsáis}, Uma instalação em Berlín e O fabricante de pessoas.

O júri estava formado pelos académicos Luis Mateo Díez, que foi seu presidente e José María Merino e pelos escritores extremenhos Luis Landero, Gonzalo Hidalgo Bayal e Pilar Galán e a jornalista Rosa Bautista. O escritor vencedor desta edição Javier Pérez, é jornalista e conta com outros prémios de romance. Além disso, é autor de várias publicações de carácter histórico e {policíaco}, segundo se explicou durante a celebração da gala que esteve animada pela atuação dos cantoras Maribel Rodríguez e {Nano} Rubio.

As notícias mais...