Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 19 de janeiro de 2020

Talento cacerenho para o futuro

{Irene}, {Luzena} e Içam estudam no instituto/liceu Luis de Morales de Arroyo de la Luz e ganham o primeiro prémio a nível nacional do concurso dos Reptos/objetivos de Europa 2020 com um projeto para medir a poluição, a irradiação solar e se a água é potável

ALEX DE MATÍAS
08/12/2019

 

Sempre é bom estar orgulhoso do que uns jovens alunos conseguem por meio de suas iniciativas. Mas também o é quando se conseguem marcos a nível tecnológico na região, que parece que nunca existe Extremadura quanto a iniciativas interessantes e de projetos empreendedores. Na Extremadura existe talento e o futuro depende de jovens estudantes, inquietos pelas novas tecnologias e que, além disso, pretendem ajudar aos demais.

E esse exemplo está em Arroyo de la Luz, no Instituto/liceu de Ensino Secundário Luis de Morales, onde três jovens estudantes de primeiro de ESO, com só/sozinho 12 anos, acabam de ganhar um prémio a nível nacional no concurso ‘Propostas inovadoras aos Reptos/objetivos de Europa 2020’. Seu projeto: um Dispositivo de Ajuda Pessoal ({DAP}), escolhido como a melhor proposta inovadora no fórum {Talent} {Woman} Espanha 2019, no qual está presente o projeto Ciência e Tecnologia em feminino, impulsionado pela Associação de Parques Científicos/cientistas e Tecnológicos de Espanha, composta por 16 parques membros, entre os que se encontra {Fundecyp}-Parque Científico/cientista e Tecnológico da Extremadura. «Graças a a sua proposta, nos pusemos a trabalhar com os alunos e no fim um dos projetos tem resultado vencedor, com o que estamos contentes e orgulhosos do conseguido», assinalava Ana Lancho, professora dos alunos premiados.

Um projeto de ajuda

Assim, {Luzena} {Cid}, {Irene} Furtado e Içam {Parrila} ganharam este prémio com seu Dispositivo de Ajuda Pessoal que tem numerosas funções como medir se a água é potável, o nível de radiação solar, a poluição do ar ou se os alimentos têm glúten ou {lactosa}, para além de ser recarregável com pequenas placas terrenos. «Tudo o têm realizado em suas casas ou nos recreios, sua implicação foi máxima e em duas semanas acabaram o projeto. Têm demonstrado que têm muita imaginação, talento e que são empreendedores», explicava Ana. Os alunos estão «encantados» e «orgulhosos» do que conseguiram e asseguram que usufruíram muito em Málaga, onde realizaram muitos oficinas e lhes deram o prémio como os melhores de Espanha».

As notícias mais...