Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 21 de novembro de 2017

O plenário/pleno destitui ao presidente da Câmara Municipal ao negar-se este a ir-se embora

A decisão contou com o apoio de IU, PP e uma vereadora do PSOE

REDACCIÓN / EFE provin-caceres@extremadura.elperiodico.com TORREJÓN EL RUBIO
06/09/2017

 

A oposição/concurso público conseguiu ontem, um mês e meio depois de/após que se {conociera} a sentença que condenava ao presidente da Câmara Municipal, Luis Miguel Vacas, por um delito continuado de prevaricação, sua destituição diante da negativa deste a ir-se embora. O plenário/pleno se desenvolveu em ausência do presidente da Câmara Municipal, e a cessação contou com os votos a favor pela situação de incompatibilidade com cargo público dos dois vereadores de IU, um do PP, e duma das duas vereadoras do PSOE.

O porta-voz do Grupo Municipal de Izquierda Unida, Miguel José González, indicou a Efe, que com esta saída do presidente da Câmara Municipal que tinha sido expulsado do PSOE, volta a ficar uma situação «complexa» na Câmara Municipal e não está claro quem será escolhido para governar a câmara municipal, embora aponta que, por enquanto, o que lhe preocupa é que «se recupere a normalidade».Após as eleições de Maio de 2015, González foi escolhido presidente da Câmara Municipal e aos quatro meses teve uma moção de censura que colocou no comando ao socialista, Luis Miguel Vacas, que foi cessado pela sentença da Audiência de Cáceres que ratificava a pena de 8 anos, 6 meses e um dia de inabilitação por beneficiar a sua mulher e a seu filho em processos seletivos de emprego municipal.

Com isso, o PSOE voltará a recuperar um vereador já que o presidente da Câmara Municipal tinha sido expulsado do jogo/partido quando se conheceu a sentença do Juzgado de Primera Instancia. A situação da corporação, portanto, será de 3 vereadores do PSOE, 2 de IU e um vereador do PP.

O plenário/pleno se tem desenvolvido sem contratempos, salvo a presença do presidente da Câmara Municipal cessado que se encontrava {merodeando}, entre o público, no sala de plenários/plenos, segundo recolhe/expressa Efe.

Os vereadores da oposição/concurso público exigem num escrito/documento que urgentemente se tramite o pedido de credencial para um novo vereador à Junta Electoral. Por seu lado González esperava que ontem se produzissem todas as baixas «sem ter que defender seus direitos nos tribunais».

Sobre/em relação a o presidente da Câmara Municipal pesa uma segunda sentença que lhe condena a 4 meses de multa com uma quota diária de 6 euros por defraudar no fornecimento de água em seu domicílio particular.

As notícias mais...