Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 17 de novembro de 2019

Una moção de censura dá a presidência da câmara municipal ao PSOE

«A gestão esteve paralisada», denúncia o novo presidente da Câmara Municipal

EFE CÁCERES
08/11/2019

 

Una moção de censura subscrita pelo PSOE e dois vereadores não inscritos deu a Presidência da câmara municipal de Herguijuela (Cáceres) ao socialista Gonzalo José González, quem desbanca assim a Juan Trevejo, da Agrupamento de Vizinhos/moradores de Herguijuela ({AVH}). Trata-se de a primeiro moção de censura registada num município extremenho após as últimas eleições locais, celebradas no passado 26 de Maio. Os três vereadores que conformam o Grupo Municipal Socialista, liderado por Gonzalo José González, e dois vereadores não inscritos, estes últimos procedentes da {AVH}, têm assinado a moção após chegar a um acordo face a o que fica de legislatura.

Nos citadas eleições, a {AVH}, encabeçada por Trevejo, conseguiu quatro vereadores, um mais que o PSOE. No entanto, dois desses quatro abandonaram as filas da formação independente. Trevejo somente tem permanecido cinco meses à frente da presidência da câmara municipal por ter «perdido a confiança da corporação municipal e inclusivamente a dalguns de seus próprios vereadores», disse a Efe o novo presidente da Câmara Municipal desta localidade do região {trujillana}.

«{Contamos} com a confiança e a seriedade» dos dois vereadores não inscritos «para tirar adiante esta legislatura sem sobressaltos», acrescentou González, quem tem apontado que Trevejo entrou «como um elefante em {cacharrería} na Câmara Municipal». No seu entender, este último levou a cabo uma má gestão e tem administrado de «forma arbitrária, sem contar com a oposição/concurso público». Na opinião de González, Trevejo foi «vítima de suas próprias decisões», especialmente quando retirou a dois de seus próprios vereadores -os agora não inscritos- das competências.

«A gestão municipal esteve paralisada», denunciou González, quem sublinhou que uma dos decisões mais polémicas que tomou o já expresidente da Câmara Municipal foi «despedir à maioria dos empregados públicos». Gonzalo José González, de 53 anos e trabalhador na fábrica da indústria da carne {Navidul} em Trujillo, foi vereador de Cultura durante a legislatura anterior.

As notícias mais...