Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 20 de junho de 2018

A catedral poderá seguir/continuar sua reabilitação por 1,5 milhões

O Ministério de Fomento aprova o investimento e o presidente da Câmara Municipal expressa satisfação

NIEVES AGUT prov-caceres@extremadura.elperiodico.com CORIA
13/01/2018

 

Las obras para a consolidação da estrutura e reabilitação da Catedral Santa María de la Asunción de Coria continuarão e fá-lo-ão depois de/após que ontem o Governo Central, através do Ministério de Fomento, desse a aprovação a algo mais de 1,5 milhões de euros para executar os trabalhos correspondentes à segunda fase que se centrarão no interior do monumento. Assim o anunciou o presidente da Câmara Municipal, José Manuel García Ballestero, num ato de manhã após receber/acolher a comunicação do Governo Central. Concretamente, Fomento destinará 1.025.000 euros, o que supõe o 70 por cento do orçamento total da atuação que faz o Ministério de Fomento a diferentes projetos de recuperação e posta em valor do património histórico na região dentro de os fundos que se geram para o 1,5 por cento Cultural como consequência da execução da obra pública.

Após conhecer-se a aprovação de dita investimento, o presidente da Câmara Municipal expressou sua satisfação que estendeu a todos os cidadãos de Coria. «Não é fácil conseguir em dois convocatórias consecutivas a aprovação do projeto de obras da Catedral», afirmou. Também, qualificou de «tudo um conquista e um repto/objetivo» a posta em marcha desta segunda fase.

O presidente da Câmara Municipal recordou que no passado mês de Junho finalizou a primeiro fase das obras que centraram-se em reforçar a estabilidade e a consolidação do monumento em todo o seu ambiente exterior. Em relação à segunda fase, concretamente, os trabalhos incidirão em reabilitar e corrigir defeitos registados nas abóbadas, bem como na estrutura interior. Além disso, destacou que em pouco/bocado mais de dois anos, somando esta segunda fase na catedral vão a investir mais de 3 milhões de euros. Também detalhou que agora o 70 por cento será dado pelo Governo de Espanha e o resto da contribuição correrá a cargo do bispado, a Câmara Municipal e a Junta de Extremadura.

A partir de agora, o bispado, como promotor do projeto, deverá de convocar o caderno de encargos e, uma vez que este se faça público, se levar a cabo a adjudicação das obras para que estas comecem no menor tempo possível.

As notícias mais...