Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 28 de fevereiro de 2020

Sanitários indicam à gerente que o hospital perde qualidade assistencial

Pedem um plano funcional e pasta de serviços do centro para o futuro. Convocam uma concentração o dia 15, às 12.30 horas, na praça de Espanha

JOSÉ VÍCTOR PAVÓN prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ZAFRA
13/02/2020

 

A gerência do Área de Saúde Llerena-Zafra, Rosa Soria, reuniu-se na segunda-feira com a Plataforma em Defesa do Hospital e a equipa diretiva, para informar da situação de unidades e serviços dos hospitais de Zafra e Llerena. Nela, a plataforma registou um escrito/documento para a gerência no denunciou que «se está perdendo qualidade assistencial e se pode pôr em perigo a atenção médica ao paciente». A reunião, segundo o porta-voz Miguel García Díaz, não serviu para tranquilizar-lhes.

A plataforma incide na ausência de um traumatologista que atenda chamadas desde/a partir de Urgências do Hospital de Zafra, onde também não há cirurgia traumatizada urgentíssima; e no fecho da atividade cirúrgica urgentíssima de Cirurgia Geral e de Digestivo de sexta-feira a domingo, pois só/sozinho há um cirurgião localizado para urgências e hospitalização.

O coletivo considerou que esta situação «pode afetar a outros serviços, como Anestesia» Solicitou que se faça público o Plano Funcional do Hospital e a pasta de serviços e unidades do hospital. «Queremos saber o protocolo com pacientes que necessitam atenção ou intervenção traumatizada urgentíssima ou de cirurgia abdominal de sexta-feira a domingo»,

Assegurou García que a gerência não vê perigo para o paciente, porque o atenderiam no Hospital de Llerena. «Não é suficiente e pedimos que se comunique a tudo os centros de saúde para que não venham pacientes de urgências traumatológica a Zafra», disse. A plataforma acrescentou que «se querem fechar o hospital ou convertê-lo de novo em centro de especialidades, devem dizê-lo abertamente à população».

García explicou que é a primeira vez que os dois serviços principais, traumatologia e cirurgia, coincidem em Llerena. Antes eram rotatorios., e por isso «Anestesiologia está ali sobrecarregado e {tememos} que se o levem». Na reunião apresentaram que uma dessas unidades «venha a Zafra, mas se nos ficou muito claro que há uma hospital principal, que é o de Llerena». O porta-voz disse que «defendemos que há hospitais úteis e nos serviços fundamentais devemos ser equitativos pois há 57.000 habitantes».

No sábado dia 15 de Fevereiro têm organizado uma concentração cidadã na praça de Espanha às 12.00 horas no qual farão públicas todas estas petições, para além de manter concentrações perante o hospital de 8.30 a 8.40 horas.

As notícias mais...