Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 23 de septembro de 2018

Iniciam os trâmites para declarar {BIC} o jazigo {megalítico} de {Toriñuelo}

O anta já foi declarado em 1931 Monumento Nacional pela II República. Em seu ambiente apareceu uma estátua {menhir}, exemplo de arte desse período

REDACCIÓN prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com BADAJOZ
08/06/2018

 

O Diário/jornal Oficial da Extremadura (DOE) publicou ontem a resolução pela que se inicia o processo de declaração como Bem de Interesse/juro Cultural ({BIC}) o jazigo {megalítico} da Quinta do {Toriñuelo}, no termo de Jerez de los Caballeros, com o fim de descrever, estabelecer a zona arqueológica e determinar seu ambiente de proteção. Já foi declarado Monumento Nacional em 1931.

O DOE estabelece que esta Zona Arqueológica se denominará Zona Arqueológica do Monumento Nacional Jazigo {Megalítico} da Quinta do {Toriñuelo}, e insta a notificarlo às partes afetadas, bem como a sua inscrição provisória no Registo Geral de Bens de Interesse/juro Cultural do Ministério de Cultura.

O interesse/juro que oferece o jazigo {megalítico} de A Quinta do {Toriñuelo} reside, duma parte, em suas excecionais dimensões e o monumental de sua conceção; doutra, em que conserva ainda os elementos essenciais: estrutura {tumular}, corredor, câmara {ortostática} e o arranque original da coberta de falsa cúpula e parte do anel perimetral, segundo a resolução da Conselheria de Cultura da Junta de Extremadura.

ARTE {MEGALÍTICO} / Por outro lado, possui amostras de arte {megalítico} e não temos de esquecer o aparecimento em suas imediações duma estátua-{menhir} de clara tradição {megalítica}, que recolhe/expressa a resolução publicada no DOE, na qual também se resenha que o jazigo {megalítico} de A Quinta do {Toriñuelo} constitui um dos maiores/ancianidade expoentes do {megalitismo} na Extremadura.

Do mesmo modo, a resolução considera a necessidade de, à anterior categoria/escalão de Bem de Interesse/juro Cultural do anta do {Toriñuelo}, declarado como Monumento, incluí-lo e qualificá-lo como Zona Arqueológica, acorde à natureza arqueológica do bem, dotandole de melhores níveis de proteção patrimonial contemplados na regulamento autonómico sobre/em relação a património cultural da Extremadura.

As notícias mais...