Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

O hospital recupera serviços que de forma transitória deixou de emprestar

Pomares garante que o 13 de Março se incorporará um traumatologista. Diz que receberá à plataforma e que esta não substitui aos órgãos existentes

JOSÉ VÍCTOR PAVÓN prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com BADAJOZ
03/03/2020

 

El conselheiro de Saúde e Políticas Sociais, José María Vergeles, tem anunciado que na primeira quinzena de Março se restabelecerão os serviços que, de maneira transitória, se tinham deixado de emprestar no Hospital de Zafra. Assim, o 13 de Março se incorporará um traumatologista. El conselheiro o manifestou ao inaugurar os 41 Colóquios Médico-Cirúrgicos de Zafra, que reuniram a 100 profissionais o dia 29, Vergeles negou que se vá a fechar o hospital e lamentou a alarma social que está a gerar um grupo de pessoas que se têm constituído em plataforma.

Reconheceu que o SES, como o resto de Espanha, sofre falta de financiamento e de especialistas, e criticou a utilização política de temas como a saúde. El conselheiro manteve um intercâmbio de opiniões com o porta-voz da Plataforma Prol Hospital. e apelado ao respeito ao código {deontológico}, pedindo aos Colégios de Médicos a que velam porque assim seja.

Vergeles disse que há profissionais que geraram alarma social e negou que se vá a fechar ou desmantelar o hospital, mas recordou que no ano 2013, quando governava o PP na região, sim esteve em perigo e fecharam a Unidade de Cuidados Especiais. Recuperar esta unidade é um dos projetos que há para Zafra, segundo suas palavras.

Além disso, em clara alusão à plataforma, manifestou que parece que existam outros interesses que não sejam os de trabalhar por uma saúde adequada para Zafra. E lamentado que se tenha perdido o diálogo e que se alarme à população de forma desnecessária, por meio de redes sociais.

Sobre/em relação a iniciativas no hospital está resgatar a Unidade de Cuidados Especiais para intervir nos horários de guarda, ou remodelação nalgumas das plantas, para além de restabelecer a Traumatologia de Urgência o 13 de Março. Segundo o conselheiro, este hospital e o de Llerena se estão tratando como grandes hospitais de um grande área sanitária na qual tem que haver os melhores serviços para a população.

Vergeles não vê inconveniente em reunir-se com a plataforma, à que citará quando se registe a petição/pedido, mas recordou que as plataformas não podem substituir os órgãos de diálogo constituídos, como mesas sectoriais, a treinador assistencial, a de junta de pessoal, ou à gerência.

As notícias mais...